11 de dez de 2007

Correntes




Muito obrigado pelas 12.154.123 correntes enviadas até agora neste ano.
Graças a elas tomei algumas atitudes que mudaram minha vida:

-Já não saco dinheiro em caixa eletrônico porque vão me colar um adesivo amarelo e quando eu dobrar a esquina vão me roubar.

- Já não tomo coca cola depois que me avisaram que um cara caiu no tanque da fábrica e ficou totalmente corroído.

-Não vou ao cinema com medo de sentar numa agulha contaminada com o vírus da aids.

-Tô com uma inhaca de gambá porque desodorante causa câncer.

-Não estaciono o carro em shopping center com medo de cheirar um perfume ser seqüestrado e violentado.

-Não atendo celular com medo que alguém peça para digitar 5533216450123=t4rh2 e eu tenha que pagar uma fortuna de ligações para o irã

-Não como mais big mac, pois é tudo feito com carne de minhoca com anabolizante.

-Não como mais carne de frango, pois os frangos foram alterados geneticamente e têm seis asas e oito coxas.

-Não como mais ninguém porque tenho medo de acordar na banheira cheia de gelo e sem meus rins.

-Refrigerante em lata, nem pensar! Tenho medo de morrer de mijada de rato.

-Não tenho mais nenhum tostão, pois doei tudo para a campanha em prol da operação da nildinha, que é uma menina que precisa fazer uma operação urgente, pois só tem mais dois meses de vida - desde 1993.

-Este mês devo receber o meu celular ericson, por ter repassado e-mails para 2.366 amigos, e no mês que vem recebo os u$ 1.000 da aol, além dos prêmios da nestlé....

Então, cambada de antas, passadores de correntes, se vocês não enviarem esta mensagem para cento e quinze mil amigos, em exatos cinco minutos, urubus vão cagar nas cabeças de vocês, e viverão fedidos pro resto da vida...

Pense nisso



Dois amigos estavam fumando maconha e foram pegos pela polícia. No dia do julgamento o juiz, que estava de bom-humor, disse:

- Vocês parecem ser boas pessoas, por isso lhes darei uma segunda chance! Ao invés de irem pra cadeia, vocês terão que mostrar para as pessoas os terríveis males das drogas e convencê-las a largá-las! Compareçam ao tribunal daqui uma semana, pois eu quero saber quantas pessoas vocês convenceram!

Na semana seguinte os dois voltaram e o juiz perguntou para o primeiro homem:

- Como foi sua semana, rapaz?

- Bem, meritíssimo, eu convenci 17 pessoas a pararem de consumir drogas para sempre!

- 17 pessoas? - disse o juiz, satisfeito - Que maravilha. O que você disse para elas?

- Eu usei um diagrama, meritíssimo. Desenhei 2 círculos como estes:

O o

Aí apontei pro círculo maior e disse:

- Este é o seu cérebro em tamanho normal... - e apontando pro menor - E este é o seu cérebro depois das drogas!

- Muito bem! - aplaudiu o juiz, virando-se para o outro sujeito - E você? Como foi sua semana?

- Eu convenci 234 pessoas, meritíssimo!

- 234 pessoas? - exclamou o juiz, pulando da cadeira - Incrível! Como você conseguiu isso?

- Utilizei um método parecido com o do meu colega. Desenhei 2 círculos como estes:

o O

- Mas eu apontei para o círculo menor e disse:

- Este é seu cu antes da prisão...

Olha que exemplo legal!!!



João e Mané

João era um importante empresário. Morava em um apartamento de cobertura, na zona nobre da cidade. Naquele dia, João deu um longo beijo em sua amada e fez em silêncio a sua oração matinal de agradecimento a Deus por sua vida, seu trabalho e suas realizações. Após tomar café com a esposa e os filhos, João levou-os ao colégio e se dirigiu a uma de suas empresas.
Chegando lá, cumprimentou com um sorriso os funcionários, inclusive Dona Teresa, a faxineira. Tinha ele inúmeros contratos para assinar, decisões para tomar, reuniões com vários departamentos da empresa,contatos com fornecedores e clientes, mas a primeira coisa que disse para sua secretária foi:

"Calma, faça uma coisa de cada vez, sem stress" (EU QUERO ESTE CHEFE!!!!!).

Ao chegar a hora do almoço, ele foi para casa curtir a família. A tarde tomou conhecimento que o faturamento do mês superou os objetivos e mandou anunciar que todos os funcionários teriam gratificações salariais no mês seguinte.

Apesar da sua calma, ou talvez, por causa dela, conseguiu resolver tudo que estava agendado para aquele dia.

Como já era sexta-feira, João foi ao supermercado, voltou para casa, saiu com a família para jantar e depois foi dar uma palestra para estudantes, sobre motivação para vencer na vida.

Enquanto isso, no bairro mais pobre de outra capital, vive Manoel, ou Mané, como era mais conhecido. Como fazia em todas as sextas-feiras, Mané foi para o bar jogar sinuca e beber com amigos. Já chegou lá nervoso, pois estava desempregado. Um amigo seu tinha lhe oferecido uma vaga em sua oficina como auxiliar de mecânico, mas ele recusou, alegando não gostar do tipo de trabalho.
Mané não tinha filhos e estava também sem uma companheira, pois sua terceira mulher partiu dias antes dizendo que estava cansada de ser espancada e de viver com um inútil.

Ele estava morando de favor, num quarto imundo no porão de uma casa. Naquele dia, Mané bebeu mais algumas, jogou, bebeu, jogou e bebeu até o dono do bar pedir para ele ir embora. Ele pediu para pendurar a sua conta, mas seu crédito havia acabado, então armou uma tremenda confusão...e o dono do bar o colocou pra fora.

Sentado na calçada, Mané chorava pensando no que havia se tornado sua vida, quando seu único amigo, o mecânico, apareceu e, após levá-lo para casa e curando um pouco o porre, perguntou a Mané:

-"Diga-me por favor, o que fez com que você chegasse até o fundo do poço desta maneira?"

Mané então desabafou:

-"A minha família...
Meu pai foi um péssimo exemplo. Ele bebia, batia em minha mãe, não parava em emprego nenhum. Tínhamos uma 'vida miserável. Quando minha mãe morreu doente, por falta de condições, eu saí de casa, revoltado com a vida e com o mundo. Tinha um irmão gêmeo, que também saiu de casa no mesmo dia, mas foi para um rumo diferente, nunca mais o vi. Deve estar vivendo desta mesma forma".

Enquanto isso, na outra capital, João terminava sua palestra para estudante s. Já estava se despedindo quando um aluno ergueu o braço e lhe fez a seguinte pergunta:

-"Diga-me por favor, o que fez com que o senhor chegasse até onde está hoje, um grande empresário e um grande ser humano?"

João emocionado, respondeu:

-"A minha família. Meu pai foi um péssimo exemplo. Ele bebia, batia em minha mãe, não parava em emprego nenhum, tínhamos uma vida miserável. Quando minha mãe morreu, por falta de condições, eu saí de casa, decidido que não seria aquela vida que queria para mim e minha futura família. Tinha um irmão gêmeo, que também saiu de casa no mesmo dia, mas foi para um rumo diferente, nunca mais o vi. Deve estar vivendo desta mesma forma".

Moral da história:

O que aconteceu com você até agora, não é o que vai definir o seu futuro, e sim a maneira como você vai reagir a tudo que aconteceu. Sua vida pode ser diferente, não se lamente pelo passado, construa você mesmo o seu futuro, mas sempre segurando na mão de DEUS. Encare tudo como uma lição de vida, aprenda com seus erros e até mesmo com o erro dos outros.
O que aconteceu é o menos importante. O que realmente importa é o que você vai fazer com o que acontecer.

"Procure ser uma pessoa de valor, em vez de procurar ser uma pessoa de sucesso. O sucesso é conseqüência."
(Albert Einstein)

Nunca fique devendo a um ADVOGADO!!!



Amit era um alto funcionário da corte do Rei Akbar.

Há muito tempo, nutria um desejo incontrolável de chupar os voluptuosos seios da rainha até se fartar.

Todas as vezes que tentou, porém, deu-se mal.

Um dia, ele revelou seu desejo a Birbal, principal conselheiro e Advogado do Rei, e pediu que ele fizesse algo para ajudá-lo.

Birbal, depois de muito pensar, concordou, sob a condição de Amit lhe pagar mil moedas de ouro, que aceitou o acordo.

No dia seguinte, Birbal preparou um líquido que causava comichões e derramou no sutiã da rainha, que o deixara fora enquanto tomava banho.

Logo a coceira começou e aumentou de intensidade, deixando o rei preocupado.

Médicos de todo o reiro foram chamados, mas nada resolveu. Birbal então disse ao Rei que apenas uma saliva especial, se aplicada por quatro horas, curaria aquela espécie de coceira.

Birbal também disse que essa saliva só poderia ser encontra da na boca de Amit.

O Rei Akbar ficou muito feliz e então chamou Amit que, pelas quatro horas seguintes, fartou-se em chupar à vontade os suculentos e deliciosos peitões da rainha. Lambendo, mordendo, apertando e passando a mão, ele fez o que sempre desejou. Satisfeito, ele se encontrou com o advogado Birbal queria receber o combinado.

Com seu desejo plenamente realizado e sua libido satisfeita, Amit se recusou a pagar ao advogado e, ainda por cima, o escorraçou e zombou de sua cara, pois sabia que, Birbal nunca poderia contar o fato ao rei. Mas Amit havia subestimado o Advogado Birbal. No dia seguinte, por vingança, Birbal colocou o mesmo líquido na cueca do rei.

Moral da História: Você pode ficar devendo pro mundo inteiro, até pro capeta.

Mas nunca, nunca mesmo, pense em dever para um Advogado.

Mulher não guarda rancor?


Essa prova que as mulheres não guardam rancores.

Após um longo período de doença, a mulher morre e chega aos portões do Céu.
Enquanto aguardava São Pedro, ela espiou pelas grades e viu seus pais, amigos e todos que haviam partido antes dela, sentados a mesa,apreciando um maravilhoso banquete.
Quando São Pedro chegou, ela comentou:
"- Que lugar lindo! Como faço para entrar?"
"- Eu vou falar uma palavra. Se você soletrá-la corretamente na primeira você entra; se errar vai direto para o inferno."
E ela respondeu:
"- Tá, qual e a palavra?"
"- AMOR."
Ela soletrou corretamente e passou pelos portões. Cerca de um ano depois, São Pedro pediu que ela vigiasse os portões naquele dia. Para surpresa dela, o marido apareceu.
"-Oi! Que surpresa! - disse ela. Como você está?"
"- Ah, eu tenho estado muito bem desde que você morreu. Casei-me com aquela bela enfermeira que cuidou de você, ganhei na loteria e fiquei milionário.Vendi a casa onde vivemos e comprei uma mansão. Eu e minha esposa viajamos por todo o mundo. Estávamos de férias, e eu fui esquiar hoje. Cai, o esqui bateu na minha cabeça e cá estou eu."
"- Como faço para entrar, querida?"
"- Eu vou falar uma palavra. Se você soletrá-la corretamente na primeira você entra, senão vai para o inferno."
E ele respondeu:
"- Tá, qual é a palavra?"
"- ARNOLD SCHWARZENEGGER..."

A gaivota doida por Doritos de queijo

Ela desenvolveu o hábito de roubar o salgadinho de uma loja. Ela espera o atendente se distrair, entra na loja e agarra o pacotinho. Lá fora, o pacote é rasgado e ela divide com os outros pássaros. Ela é uma "cliente" assídua. Detalhe: sempre pega o mesmo tipo de salgadinho. Os clientes começaram a pagar pelos pacotinhos roubados por acharem o fato muito engraçado. Prestem atenção na diferença da velocidade quando ela entra na loja e depois quando sai, já com o objeto do roubo. Ah, esses animais...

Quanto tempo a gente perde na vida?

Recebi este texto e achei por bem publica-lo aqui. Não há o que acrescentar, porque ele fala por si mesmo...







Sim, depois de nascer, a gente demora pra falar, demora pra caminhar, etc.

Se somarmos todos os minutos jogados fora, perdemos anos inteiros.
E aí, mais tarde, demora pra entender certas coisas.
E levamos um século para aceitar o fim de uma relação. E outro século para abrir a guarda para um novo amor.
Demora, também, pra dar o braço a torcer.
Viramos adolescentes (aborrecentes) teimosos e dramáticos.

e demoramos para tomar uma decisão.
Quando, já adultos,
demoramos para perdoar um amigo,
demoramos para dizer a alguém o que sentimos,
E só aí a gente descobre que o nosso tempo não pode continuar sendo desperdiçado.
Até que um dia a gente faz aniversário. 37 ou 41 anos. Talvez 50 e tal....
Uma idade qualquer que esteja no meio do trajeto.

Fazendo uma analogia com o futebol, é como se a gente estivesse com o jogo empatado, no segundo tempo, e ainda se desse ao luxo de atrasar a bola pro goleiro. Ou fazer tabelas desnecessárias.
Quanto esbanjamento.
Pois tudo o que a gente quer, depois de uma certa idade, é ir direto ao assunto.
E esquecemos que não falta muito pro jogo acabar...
Sim, é preciso encontrar logo o caminho do gol.
Sem muita frescura,
sem muito desgaste,
sem muito discurso.

E isso a gente só alcança com alguma vivência e maturidade.
Excetuando-se no sexo, onde a rapidez não é louvada, pra todo o resto é melhor atalhar.
Pessoas experientes já não cozinham em fogo brando.
Não esperam sentadas, não ficam dando voltas e voltas.
E não necessitam percorrer todos os estágios.
Não desperdiçam mais nada.
Queimam etapas.
A resposta do emprego ainda não veio? Procure outro enquanto espera.
Uma pessoa é sempre bruta com você?
Não é obrigatório conviver com ela.
O cara está enrolando muito?
Beije-o primeiro e veja se ele, realmente, interessa e transmite algum sentimento.
Paciência para aquilo que vale nossa dedicação.
Paciência só para o que importa de verdade.
Paciência para ver a tarde cair.
Paciência para degustar um cálice de vinho.
Paciência para a música e para os livros.
Paciência para escutar um amigo.

O maior possível!
Pra enrolação, um atalho.

By Martha Medeiros

CONSTRUA A SUA BORBOLETA


É só um ano que está terminando.
Não é a vida.
Portanto, pare de correr, desacelere, desestresse-se. Deixe para amanhã o que você não precisa fazer hoje. Vá com calma no trânsito, coma devagar, seja amável com as pessoas, ligue para alguém que gostaria de ouvir a sua voz, cante uma canção de amizade no telefone. Cante no chuveiro. Demore-se um pouco mais no banho, no vestir-se, no papo com o porteiro do edifício, no cafezinho com os amigos.

É só dezembro.
Não é o fim dos tempos.
São estrelas de Natal essas luzes que brilham nas vitrinas e nas casas. São canções de paz esses sons que inundam as noites do nosso verão. São mensagens de amor esses cartões que decoram as paredes dos escritórios. Observe-as. Ouça-as. Leia-as. E medite sobre o valor da sua visão, da sua audição, da sua sorte em ter sido contemplado com um cérebro e com a capacidade de decifrar os signos da comunicação.
É só mais um dia. Não é o último dia da história da humanidade.
Até o final da semana ainda dá para cometer uma generosidade. Dar um presente para alguém que não está de aniversário. Levar chocolate para casa. Fazer um afago no cachorro do vizinho. Distribuir abraços inesperados. Surpreender. Copiar um poema para um amigo (quem sabe até para um inimigo).
É apenas mais um dia. Não é o dia D, nem a hora H.
Ignore o relógio, encontre um tempinho para brincar com seu filho. Pare para vê-lo jogar. O presente de Natal vai ficar velho, pode até quebrar. A lembrança da sua companhia e de cada gesto de carinho ficará para sempre.
É tempo de parar, não de correr. As férias já esperam na primeira esquina do novo ano. Observe a natureza e perceberá que ela continua operando no ritmo de sempre. As árvores não florescem mais depressa porque é dezembro, nem os pássaros se atropelam porque o ano vai terminar.
Na verdade, dezembro não é fim de nada.
É apenas mais um casulo que o bicho-da-seda do tempo construiu lentamente.
Dele vai sair a borboleta que cada um de nós imaginar.

(Nilson Souza)

(Jornal Zero Hora )

Na história da humanidade, três homens andaram sobre as águas:

- O primeiro foi Jesus Cristo; - O segundo foi Pedro; - E o terceiro foi o Sidicleisson Esse carinha da foto abaixo > > > > > > > > >

10 de dez de 2007

Senhora é a vovozinha!


Senhora, eu?

Senhora é a vovozinha. A sua vovozinha, porque a minha continua amassando pão e revolvendo a horta! E ainda pisca o olho para o gerente do banco, a danadinha.

Quando foi que começaram a me chamar de senhora?

Será que eu sei?

Será que foi quando aquele rapaz me deixou passar na frente na fila do supermercado?

Será que foi quando eu fui pintar o cabelo, não para ficar "fashion", mas para esconder os brancos?

Será que foi quando passei chispando pela lojinha de jeans e entrei na de roupas clássicas?

Será que foi quando eu comentei com o colega mais novo que ele tinha que sair mais porque, afinal, no meu tempo a gente saía de montão?

Será que foi quando bocejei desesperadamente naquela festa, louca pelo meu pijama velhinho e os meus lençóis de algodão?

Será que eu sei?

Será que foi quando escolhi a estação de águas para passar o feriadão?

Será que foi quando me escandalizei com o beijo daquele casal na rua?

Será que foi quando disse "antigamente" pela primeira vez?

Será que foi quando parei de usar calcinha cavada?

Será que foi quando decidi pelo marrom ao invés do pink?

Quando foi mesmo que começaram a me chamar de senhora?

Será que foi quando perdi a paciência com aquela criança no restaurante?

Será que foi quando parei de passear a esmo?

Será que foi quando me senti satisfeita com apenas um abraço e um “boa noite”? E dei graças a Deus?

Será que foi quando me resignei com aquela injustiça?

Será que foi quando disse sim quando queria dizer não?

Será que eu sei?

Quando? Quando foi que começaram a me chamar de senhora?

E quando foi, meu Deus, que eu comecei a aceitar?


Sara Maria Binatti dos Anjos

Natal triste



Desajustado dentro da atualidade passeei rapidamente pela feirinha do Parque Teófilo Dantas somente para receber a impressão do que ia na alma do povo neste Natal de 1948.

Mais tristeza, mais desconsolo do que alegria. Somente as crianças e os namorados davam expansão aos seus sentimentos que a idade e a situação não podem recalcar.

Os homens a quem as responsabilidades adquiridas com os cabelos. brancos e os encargos encheram de preocupações de ordem moral e econômica percorriam as alamedas do Parque iluminado como desconfiados fugitivos ou pássaros acossados pela tempestade em perspectiva. Não podiam esconder a atribulação e o desalento que lhes iam no interior. Qualquer coisa de misterioso se lhes estampava nas fisionomias abatidas.

O homem da rua e dos campos, que se esgota no trabalho de sol a sol, sem a proteção que a outros é outorgada com o mínimo de prodigalidade oriunda da abastança, passou o Natal com a alma torturada pelo espectro da miséria que lhe vem rondando o lar.

Em qualquer lugar que se penetre, hoje, ouvem-se, num crescendo atordoante, as queixas dos vencidos, em maioria, pela situação calamitosa em que se encontram, sem trabalho remunerado de acordo com as exigências do estômago, tendo, ainda, diante dos olhos espantados, a perspectiva de futuro mais negro e desolador do que o presente.

As injustiças sociais, o abandono criminoso, a falta de eqüidade, a sonegação da terra para o amanho, a prepotência como arma para a implantação de exóticas ideologias liberticidas, a mentira e o egoísmo prostituindo o conceito legítimo da Democracia, levaram o homem atual, a quem negam a solução dos seus problemas capitais, ao descoroçoamento e à miséria.

A vida para o homem pobre, esmagado por insignificante minoria poderosa, tomou-se um martírio comparável àqueles que não poderiam escapar à pena de Tolstoi e Dostoiewsky.

Nas capitais, nos subúrbios, nas cidades do interior, o espetáculo da mendicância é apavorante. Esmolam muitos não por doença mas por falta de trabalho o homem do campo foi enxotado da roça em que mourejava de manhã à noite porque o dono da terra, do vasto latifúndio, suserano absoluto e implacável, precisou alargar a superfície das pastagens ou não conseguiu saciar a besta da volúpia na pureza virginal da fIlha honesta do rendeiro.

Alguns pobres lavradores, com tratos de terra de apreciável uberdade, não contaram com o auxílio necessário no sentido de ará-los e melhorar a sementeira.

Os propósitos do governo, que dispõe das verbas próprias para o fomento necessário, têm as suas preferências que não atingem a coletividade agrária.

Daí, como se vê, à falta de estímulo e proteção - a deserção do camponês para a ilusão de outras terras ou a busca de centros urbanos, muitas vezes com família numerosa, onde mais difícil se lhe torna a situação pelo desencontro profIssional.

Cresce, por isso mesmo, pela superpopulação urbana, inábil, o número de desocupados, de falsos mendigos, de ladrões primários e engrossam as fileiras do meretrício que é a conseqüência da fome de mãos dadas à vaidade estimulada pelos rufIões de olho vivo a serviço de frascários endinheirados.

O Natal de 1948 foi de tristezas e apreensões. O Parque Teófilo Dantas quase deserto. O dinheiro foi escasso para a maioria. Muito lar não viu o costumeiro bolo de Natal.

Os pais humildes, tantos funcionários do Estado, privando-se de um pão à mesa, levaram os filhinhos — estes na inconsciência feliz das necessidades do lar onde mora hoje a melancolia - para um simples giro de carrossel.

Moças pobres, de fábricas e de escritórios, ainda mostravam os últimos feitiços da beleza extenuada, exibindo lindos vestidos comprados a prestações, enquanto o patrão, enriquecendo com o câmbio negro, talvez se banqueteasse, no lar festivo, atraindo mancebos maneirosos com a promessa de dotes opulentos.

E lá fora, na Ásia, na Europa e em qualquer parte da América, talvez se processe neste instante nova conflagração para aniquilar o Mundo.

(Correio de Aracaju - 29/12/48)

Zozimo Lima

Receita Infalível


Dizem que coar café na calcinha segura o homem e garante o marido. Qual o quê! Superstição sem fundamento lógico.

Após anos e homens de testes, cheguei à conclusão que o único homem que uma mulher segura pelo estômago é o filho (se ela tiver tido a “felicidade” de parir um exemplar masculino).

Explico: comida de mãe é sempre melhor, por mais química e comprada pronta que ela seja. Se a vizinha comprar um frango assado no restaurante “TV pra cachorro” melhor e mais chique do bairro, o dito “macho” logo afirma que a mãezinha “faz” melhor, nem que tenha sido comprado no boteco mais “pé sujo” da periferia. Basta que ela coloque as mãos de fada no pacote e pronto: é melhor e não tem papo. E mesmo que a vizinha compre no mesmo lugar, ao paladar do filho expert é diferente: “Ah, deve ser porque minha mãe é freguesa antiga: o “cara” capricha!”; ou então “Minha mãe acrescenta algo, que não sei o que é, que fica melhor!”. Só mãe sabe fritar ovo como o filho gosta, já notaram?

E é por aí mesmo.

Meu primeiro marido (que Deus o tenha em boa cozinha celestial) adorava tudo o que eu cozinhava, me elogiava, mas o “charutinho” que a mãe dele fazia era melhor. Após inúmeras tentativas de fazer igual à santa mãezinha dele, resolvi: “O que tua mãe cozinha, eu não faço.”. Às vezes eu escutava um pedido: “Chú, faz esfiha? Estou com uma vontade!”. Resposta pronta, na ponta da língua: “Pede pra tua mãe, que a dela é melhor.”.

Segundo marido, a história se repete. Todo mundo elogia meu feijão, mas do cara-pálida-metade sempre ouço: “Minha mãe tempera mais o feijão; o dela é mais saboroso; o caldo é mais grossinho.”. Faço seguindo a receita, mas não tem jeito. Na última visita dela, testamos, ambas, o poder de sugestionamento do cidadão. Eu temperei o feijão, como sempre faço, sem mudar nada, e dissemos que ela tinha feito. O babaca logo soltou o chavão:”Vê se aprende com minha mãe, porque isso sim é que é feijão!”. Rimos, as duas, e contamos a “pegadinha”. E ele emendou:”Mãe, cá entre nós, eu ia perguntar escondidinho se a senhora tinha perdido a mão pra temperar feijão, pois eu notei que estava diferente.”.

Não tem jeito. Mãe é mãe: muda o nome, o endereço, mas não pode mudar de cozinha.

Aprendeu? Então corre fritar batatinha congelada pro seu filho. Garanto que a sua é melhor do que a do mesmo pacote que a coitada da noiva dele frita e ele depois reclama da azia: “da mamãe é mais fresquinha!”, ou “o óleo que ela usa é diferente.”, ou ainda “você não acerta a temperatura do fogo!”.

Receita infalível para segurar seu homem pelo estômago: mande-o comer na casa da mãe.

E pronto. Aproveite e vá ao cabeleireiro, compre uma camisola bonita e espere por ele depois da digestão que, com certeza, será maravilhosa. Afinal, foi a mãe que cozinhou!

Thaty Marcondes

Só uma lembrancinha

Orlandeli Tempos difíceis, reclamava Osório. Tempo em que pra arrumar um empreguinho mais ou menos era preciso travar uma batalha homérica, entre currículos, rezas e mandingas. Foram mil e quinhentos candidatos pra disputar apenas uma vaga. Mesmo assim, depois de cinco anos e meio fazendo trabalhinhos esporádicos pra ganhar a vida. Osório conseguiu. A vaga era dele. Nem acreditava, parecia coisa de Papai Noel. Salário fixo, férias, benefícios e tudo mais que tinha direito. A felicidade era tanta que nem pensou duas vezes e já entrou num financiamento de um carro. Um Gol, branco, daqueles bolinha. Sempre quis ter um Gol bolinha. Agora sabia que podia arcar com as prestações, sem medo. Entrou na empresa no início de dezembro, ainda estava naquela fase de adaptação, conhecer o pessoal... essas coisas. Logo na segunda semana já anunciaram que o tradicional "amigo oculto" que acontecia todo fim de ano, seria nos próximos dias. Osório nunca gostou muito dessa brincadeira, até porque era um predestinado a sair em desvantagem. Desde moleque sempre dava um presente melhor do que aquele que recebia. Comprava um jogo de tabuleiro e recebia uma lapiseira, dava uma camisa de marca e ganhava um porta retrato. Desenvolveu até um certo trauma pela coisa. Só topou participar por causa da mulher, que disse que pareceria anti-social, um novato não participar da festa da empresa. Mesmo assim decidiu que desta vez não levaria desvantagem. Desta vez seria diferente. — Olhalá, olhalá... lá vem outro. Viu só o tamanho daquilo? — Daquilo o quê, Neide? — Do presente, oras bolas. Olha o tamanho do pacote que o cara fez. Ai, que vergonha, que vergonha... — Vergonha do quê, mulher?? Tá doida? — Osório, homem de Deus. Olhalá, tá todo mundo com cada pacote que mal dá pra carregar no braço. Tem embalagem aí que dá pra comprar uns cinco presentes igual esse seu. O seu presente é o único que dá pra trazer dentro do bolso. Imagine a vergonha que a gente não vai passar...todo mundo dando presentão... e você com essa merrequinha. — Merrequinha... Essa é boa. Foram eles mesmo que falaram "é só uma lembrancinha", então, comprei uma lembrancinha e pronto. — Eu sei, Osório, mas também não pode ser qualquer coisa, né? Por exemplo... ali. Tá vendo aquela moça? — Sei, a Gerente de Vendas. Que que tem? — Pois então, você acha que uma mulher com AQUELE par de brincos, usando AQUELE colar, em cima de um salto DAQUELA altura... vai ficar contando moedinhas pra comprar presente de amigo secreto?? Olha o nível desse povo. — Azar o dela. Pra mim lembrancinha é lembrancinha e pronto. Tivesse fixado um valor, então. Oras bolas. — Céus, quanta ignorância... Mas não fixam justamente por isso. Pra ver a consideração que cada um tem pelo seu amigo. Dando um presente bom, quer dizer que você acha a pessoa especial, agradável... que merece um presente bonitinho. Entende? Do contrário quer dizer que aquela pessoa não significa nada mais do que algumas moedinhas. — Um chaveirinho do Corinthians. — Como? — Meu amigo secreto vale um chaveirinho do Corinthians. — MEU DEUS! Diz que é mentira!!!! Você NÃO COMPROU um chaveirinho ridículo pra dar de presente. HEIM?? FALA A VERDADE!!! — Comprei sim, e daí? Vai que eu vou lá e compro um super presentão e EU é que recebo um chaveiro. Como é que fica???? HEIM??!! Pelo menos se eu ganhar um chaveiro a gente termina empatado. — Ai, Osório. Você me mata de vergonha! — Bah! Quer saber de uma coisa? Eu é que não vou ficar esquentando a cabeça. Eu vou é dar essa droga de chaveiro, mesmo e pronto. Não quero nem saber. Se aceitar beleza, senão foda-se. — E quem é o "sortudo" que vai ganhar esse "presentão"? — Nem sei direito. Não conheço o nome de todo mundo. É um tal de Aníbal Shigav, Shicut... algo desse tipo... — Jesus, e como é que você vai entregar o presente pro seu amigo se nem sequer sabe quem ele é? — Ah, chega lá eu falo "meu amigo é o Aníbal" e pronto. Duvido que tenha dois Aníbals trabalhando no mesmo lugar. A conversa é interrompida pelos gritos de uma mulher que, em cima de uma cadeira, convoca os presentes para começarem a revelação. — GEEEEENTE!!! GEEEENTE!!! VAMOS REVELAR O AMIGO SECREEEETO!! VEM LOOOOOGO, GEEEENTE!! As pessoas foram se reunindo entre brincadeiras e sorrisinhos, alguns arriscavam tentar adivinhar quem o colega tinha tirado, outros ficavam comparando o tamanho dos pacotes. Depois de uns 5 minutos formou-se um grande círculo reunindo todos os participantes. — GEEEENTE. SILÊÊÊÊNCIO, VAMOS COMEÇAR! SILÊÊÊÊÊNCIO! O barulho foi diminuindo aos poucos, até que todos ficaram em silêncio. Novamente a mulher toma o comando. — Olha, pra não ficar aquela bagunça de "quem começa? quem começa?", vamos fazer igual ao ano passado. Afinal, nada mais justo do que deixar o início da brincadeira para o Presidente da Empresa. Não é mesmo? Então, Vamos lá. Senhor ANÍBAL SHINASKI, pode vir pro meio. Todos aplaudiram e gritavam, menos Osório. O nome não deixava dúvidas, Neide foi quem se manifestou primeiro. — Osório, será que esse é o seu... — É, parece que é! — Ai, que vergonha, que vergonha... Um frio correu pela espinha de Osório. Pela primeira vez começou a dar razão à esposa, deveria ter comprado um presente mais bonitinho. Logo em seguida, o senhor Shinaski deu início à revelação. — Bom, como vocês sabem eu não sou de falar muito, então não vou ficar enrolando. Fiquei muito feliz em ter tirado essa pessoa como amigo secreto, principalmente porque ela é nova na casa, então me sinto honrado em ter a oportunidade de dar as boas vindas e desejar um futuro brilhante dentro da nossa empresa. É com muita satisfação que revelo meu amigo secreto, o senhor OSÓRIO DA SILVA. Se antes o frio passou pela espinha, agora ele percorreu o corpo todo. Osório engoliu seco. Por essa ele não esperava. Ter que dar um chaveiro para o homem que tinha acabado de lhe contratar. O Presidente da Empresa. Pela primeira vez na vida torceu pra ganhar um presente chinfrim de amigo secreto. Mesmo sabendo que mais chinfrim que o seu, era praticamente impossível. Levantou bem lentamente, parecia que tinha chumbo nas pernas. Ainda no meio do caminho olhou pra trás e viu Neide, com as duas mãos tapando o rosto. Chegou até o senhor Aníbal, exibiu um sorrisinho amarelo, deu-lhe um abraço e pegou o presente de suas mãos. Todos começaram "ABRE! ABRE! ABRE! ". Osório torceu pra sair alguma brincadeira besta do pacote e no final o presente ser uma cueca, um par de meias ou coisa do tipo. Abriu. Era um belo par de sapatos. Coisa fina, couro legítimo. Provavelmente era importado. Todos soltaram um "Óóóóóóhh" com olhos cheios de admiração e inveja. Osório deu uma olhadinha para o lugar aonde Neide estava sentada, mas não tinha mais ninguém lá. Agradeceu ao senhor Aníbal fazendo um gesto com a cabeça, ainda exibindo o sorrisinho amarelo. Agora era a sua vez, teria que dar seqüência à brincadeira. Já sabia o que estava por vir. Um pensamento otimista lhe veio à mente. Tudo poderia parecer muito engraçado, uma grande piada, e terminar com todos rindo do presentinho ridículo que Osório tinha comprado. Mas logo a realidade vinha à tona. Puxa vida, o cara tinha dado um sapato caríssimo e iria receber um chaveirinho em troca. Quem vai rir de uma coisa dessas??? — Errrrr....meu amigo sec...creto.... errr... gosto muito e... cof cof...ele é...errr ...o senhor ANÍBAL. Novamente todos aplaudiram, alguns gritavam "É MARMELADA! É MARMELADA!" não acreditando em tamanha coincidência. O senhor Aníbal chegou perto, deu um abraço em Osório e recebeu de suas mãos uma caixinha embrulhada num papel barato. Novamente todo mundo começou "ABRE!ABRE". Na cabeça de Osório o coro "NÃO ABRE! NÃO ABRE!". Chegou até a pensar em algum milagre, vai que o homem abre a caixinha e encontra um relógio de ouro no lugar do chaveirinho. Fechou os olhos e fez um pensamento positivo. O senhor Aníbal finalmente abriu a caixinha mas, ao que parece, o pensamento de Osório não foi tão positivo assim. O silêncio tomou conta do lugar, ninguém acreditava no que estavam vendo. A única coisa que se conseguia ouvir era um som baixinho de choro, lá no fundo do salão. Era Neide, que acompanhava tudo de longe. Se existia algum tipo de respeito do senhor Aníbal para com Osório, tinha terminado ali. Dava pra ver nos olhos do homem, que segurava seu presente entre o polegar e o indicador. Uma mistura de decepção e raiva. Então era isso que ele significava para o Osório? Um chaveirinho do corinthians?! Ainda mais ele, que era palmeirense roxo. O valor já nem era tão importante. A coisa ficou parecendo um grande deboche, uma desafronta. E pensar que Osório ainda estava cumprindo período de experiência dentro da empresa. Mil e quinhentas pessoas prontas pra tomar o seu lugar, só esperando um pequeno vacilo. E não havia dúvidas que aquela situação ERA um vacilo. Precisava pensar em algo, rápido. Seu futuro estava em jogo. Senhor Aníbal dirigiu o olhar para Osório. O olhar dele não mentia, era como se tivesse escrito na testa, em letras garrafais "O que significa esse maldito chaveiro?" Ficou um tempo encarando Osório, esperando uma explicação. Osório sabia que em questão de segundos, caso não se manifestasse, o homem tomaria a iniciativa e começaria a falar. Se isso acontecesse, seria o fim. Foi quando colocou a mão no bolso, estava ali, sua salvação, bem firme entre os seus dedos. — TCHÃRÃÃÃÃMM!!!!!! Pronto, caso encerrado. Muita gente ficou confusa, mas ninguém poderia condená-lo. Depois de tanto tempo ainda se pergunta se fez a coisa certa. No fundo acredita que sim, afinal, já são cinco anos dentro da mesma empresa. No meio de conversas miúdas ficou sabendo que logo na primeira semana após a festa, o senhor Aníbal se desfez do chaveirinho do corinthians. Já o Gol bolinha, não. O Gol bolinha é seu companheiro inseparável nas visitas que faz à chácara nos finais de semana

Diálogo atual




Fátima Soares Rodrigues


Família classe alta. Início da noite de sexta-feira.

Hora do jantar. Mesa arrumada. Todos reunidos: pai, mãe, filho de 18 e filha de 15. O pai assenta-se na cabeceira da mesa e vê o filho com o visual diferente.

No nariz, destaca-se o "piercing" prateado, na boca, o parafuso no lábio, e na orelha, seis furos: três em cada uma, exibindo um verdadeiro "sistema planetário". O pai olha de soslaio e, em silêncio, se serve do jantar.

Ao final da sobremesa, levanta-se, dirige o olhar a todos da mesa e avisa: "Segunda-feira quero todos reunidos para o almoço." Deseja à família uma boa noite e se recolhe em seu quarto.

O final de semana transcorre normalmente. Os filhos saem à noite para os compromissos com os colegas, pai e mãe vão ao cinema; no domingo, à casa de parentes que, assustados com o visual do rapaz, questionam os pais da permissão. A mãe, entre sorrisos sem graça, deixa que o pai se manifeste: "Não liguem, não. Coisas
da juventude", e à noite todos se encontram para o sono dos justos.

Manhã de segunda-feira, o pai sai para o trabalho, a mãe molha as plantas do jardim-de-inverno, enquanto a filha se dirige a ela para o beijo de tchau, em
direção à escola. O filho permanece dormindo, pois a Faculdade começa às 13h.

Hora do almoço. Mesa arrumada. Família reunida: pai, mãe, filho de 18 e filha de 15. O filho assenta-se no lugar de costume e vê o pai com o visual diferente. Na orelha direita, pende a enorme argola de prata, fazendo par com os curtos cabelos de prata do pai, contrastando com o terno azul de linho e a idade nada jovial do velho senhor.

Abobalhado, mas silencioso, permanece o filho e se serve do almoço.

Ao final da sobremesa, levanta-se o pai e dirige o olhar ao filho: "Vou te levar à faculdade hoje".O filho, quase que desesperado, suplica: "Não, pai. Não precisa. De jeito nenhum que vou lhe dar esse trabalho. Deixar que desvie do seu caminho, nem
pensar...”

— Faço questão! — Enfatiza o pai.

O filho ainda tentar fazer o pai mudar de idéia, quando é interrompido pelo pai:

— Te espero no carro.

Mais que depressa, o filho corre para o banheiro e arranca de qualquer jeito os apetrechos das orelhas, na tentativa desesperada de que o pai faça o mesmo:
arranque o brinco.

Pega a mochila e chega esperançoso ao carro, chamando a atenção do pai para a ausência dos seis "brincos".

O pai se mantém calmo e impassível liga o carro para retirá-lo da garagem.

Durante o trajeto o filho evita encarar qualquer pessoa da rua, temendo encontrar algum conhecido.

Antes da entrada no Campus, o jovem diz: "Falô, pai. Pode parar por aqui. Já tá ótimo. Quebrou um galhão!"

E ensaia deixar o carro.

Calmamente, o pai continua dirigindo.

— Vou parar no estacionamento. Faço questão de deixá-lo dentro da sala.

— Quê isso, pai! Não precisa mesmo. Você vai se atrasar mais ainda “.

— Não tem problema, estou com tempo hoje.

Descem os dois, e antes que o filho tome a frente, o pai segura-lhe o braço:

— Espera aí, me conta como está indo nos estudos...— E caminha ao seu lado.

O filho se recusa a olhar para os lados, mas não consegue evitar os olhares perplexos dos estudantes ao se depararem com a imagem grotesca do seu pai que, indiferente, continua o trajeto.

Já no corredor, o jovem despede-se afoito e entra como um raio no banheiro.

Calmamente, o pai retoma o caminho de volta.

Na manhã seguinte para o café, a família reunida: pai despido da bijuteria, mãe, filho de 18 de cara limpa como veio ao mundo, e filha de 15, dão início a um novo dia.

O recado havia sido dado!

Carta ao Papai Noel




Bernardo Rodrigues


Querido Papai Noel,

Desculpa eu escrever tão devagar é que eu tenho nove anos mas ainda não sei escrever dereito nem meu nome que é muito complicado. Você sabe como é que é aqui agente não temos escola pra todo mundo e fica todo mundo quinem eu. Eu sei que o senhor tem muita carta pra ler e que todo mundo escreve carta pro senhor aí eu resolvi escrever de uma vez pro senhor não ter desculpa depois que tá muito ocupado quinem meu pai todo ano fala. Mais eu queria era fazer essa carta pra falar com o senhor o que eu quero ganhar de Natal.

Se não for muinto defício pro senhor eu queria quatro presentes deferentes. O primeiro é um papagaio. Uma vez falei com meu pai que queria um papagaio e ele me deu um, só que o que ele me deu era de papel igual pipa. Eu quero é um daquele verde que paresse uma maritaca e fala um monte de coisa. O Esquerdinha amigo meu ele faz muinta coisa errada mais é do bem e é bom de bola. Aí ele falou que eu não poço ganhar papagaio porque eu sou gago esqueci de falar isso com o senhor mas ele falou que eu sou gago e que gago não pode ter papagaio sinão o papagaio gageja também. Eu acho bobice do Esquerdinha porque o papagaio custa caro e deve ter estudado em escola particular e menino de escola particular não gageja. E si ele vier com defeito aí eu peço pra trocar. Mais como o senhor é que vai trazer eu confio no senhor. O senhor já ta velhinho mas é de confiança deferente dos político daqui. Intão eu queria ganhar um papagaio e uma chutera nova. Agora a chutera eu queria o pé direito número 34 e o esquerdo numero 30 porque eu quero devidir com o Isquerdinha meu amigo porque ele não tem chutera e ainda joga bem pra caramba. Ele chuta de perna isquerda aí pode ser asim. Um papagaio uma chutera e uma camionete. Eu quiria dar uma caminonete pra minha mãe pra ela poder carrega as roupa que ela lava sem ficar com dor nas costa. Mina mãe tem poblema sério de coluna aí eu queria mesmo é que ela sarace mas eu sei que o sinhor não é médico nem pai de santo e que o problema da minha mãe é sério. Mas a caminhonete eu acho que ajuda ela um pouco. O outro presente eu queria sarar da minha gagera. Eu vi na televisão que tem um médico que sara gago. Eu queria ganhar um médico desse de presente. Não cei se o senhor dá médico de presenti mas acho que pode ser um presente ispessial. Nem precisa imbrulhar porque senão o médico morre asfiquiciado quinem o policial falou do meu irmão quando mataram ele. Eu quero sarar da gagera pra todo mundo parar de rir de mim e o papagaio não ficar gago mas eu acho que não tem nada a ver é coisa do Esquerdinha que ta com inveja eu acho. E também eu poço falar bonito pra minha professora gostar de mim. Ela é nova e é bonita pra caramba e eu queria cazar com ela pra ela poder me ensenar escrever dereito e mas depressa.

Obrigado pela atensão espero que o senhor esteje bem sua mãe es seus parentes. Manda um abraço pros viadinho que carrega sua carroça. Um ispecial praquele que ta gripado. Ele já sarou?

Um abraço.

Maicodiéquisso dos Santos da Silva

9 de dez de 2007

Questão da prova final de Geografia (2006) do Colégio Objetivo-SP, Terceiro Ano:
- "Faça uma análise sobre a importância do Vale do Paraíba"
Resposta de um aluno:
"O Vale do Paraíba é de suma importância, pois, não podemos discriminar esses importantes cidadãos. Já que existem o Vale-Transporte e o Vale do Idoso, por que não existir também o Vale do Paraíba? Além disso, sabemos que os Paraíbas, de um modo geral, trabalham em obras ou portarias de edifícios e ganham pouco. Então, o dinheiro que entra no meio do mês (que é o Vale), é muito importante para ele equilibrar sua economia familiar."

7 de dez de 2007

***Merry Christmas****** Happy New Year***********PAZ**************AMOR***********FELICIDADE ******PROSPERIDADE*********Beijo********

PRESÉPIO

Clique aqui e monte o presepio PRESEPIOMONTE O PRESÉPIO

सुन्जिंहA SOLIDÃO

Sunzinha    Solidão क्लिकुए ए वेजा कुए लिंदो... c

20 de nov de 2007

A LOIRA E O CARTEIRO:

Era o último dia de Rubens como carteiro. Após 35 anos de serviço ele levava as correspondências por toda vizinhança, e tratava todos de uma forma bastante carinhosa. Quando chegou na primeira casa de sua rota, foi recebido pela família que ali estava. Todos gritavam seu nome, e ainda presentearam-no com uma linda camisa. Na segunda casa, presentearam-no com uma caixa de charutos finos. A família da terceira casa entregou-lhe uma caixa com iscas para pesca. Na quarta casa foi recebido na porta por uma loira deliciosa, vestida com uma camisola transparente e minúscula. Ela segurou sua mão, gentilmente fechou a porta, colocando-o para dentro, subiu as escadas em direção ao quarto e transou com ele de uma forma que ele jamais tinha experimentado. A mulher fazia de tudo, literalmente tudo, realmente parecia insaciável. Quando ele já não agüentava mais, os dois desceram para a cozinha, onde ele foi novamente surpreendido com um café gigante: frutas, geléias, bolos, pães e um suco de laranja. Quando estava saciado, a loira ofereceu-lhe um café expresso. Enquanto ela preparava, ele percebeu uma moeda de 25 centavos ao lado da xícara. -Tudo isso foi tão maravilhoso, mas por que a moeda de 25 centavos? perguntou o carteiro. Bem, ontem à noite, eu avisei ao meu marido que hoje era seu último dia de trabalho, e que nós deveríamos fazer algo especial pra você. Perguntei o que deveríamos lhe dar e ele disse: “Fode com ele: dá uma moeda de 25 centavos”. - Mas o lanche foi idéia minha !

Crianças italianas com o Menino Jesus.

O jornal italiano Corriere della Sera publicou em sua edição eletrônica de fim de semana uma enquete muito divertida. Trata-se de opinar sobre o relacionamento das crianças italianas com o Menino Jesus. Os leitores devem escolher entre frases tiradas do livro: "Caro Gesù: la giraffa la volevi proprio così o è stato un incidente?" (Querido Jesus, a girafa você queria assim mesmo ou foi um acidente?), recém-lançado pela editora Sonzogno. É uma amostra do que elas costumam escrever nas redações da escola, nas aulas de catecismo e em bilhetinhos de final de ano. Na Itália, o Papai Noel não toma conta do imaginário infantil e Gesù Bambino é um poderoso concorrente do bom velhinho nórdico. Escolha você também a sua frase preferida. "Querido Menino Jesus, todos os meus colegas da escola escrevem para o Papai Noel, mas eu não confio naquele lá. Prefiro você.“ (Sara) "Querido Menino Jesus, obrigado pelo irmãozinho. Mas na verdade eu tinha rezado pra ganhar um cachorro." (Gianluca) "Querido Jesus, por que você não está inventando nenhum animal novo nos últimos tempos? A gente vê sempre os mesmos." (Laura) "Querido Jesus, por favor, ponha um pouco mais de férias entre o Natal e a Páscoa. No meio, agora está sem nada.“ (Marco) "Querido Jesus, o padre Mário é seu amigo ou você conhece ele só do trabalho?“ (Antonio) "Querido Menino Jesus, por gentileza, mande-me um cachorrinho. Eu nunca pedi nada antes, pode conferir.“ (Bruno) "Querido Jesus, talvez Caim e Abel não se matassem se tivessem um quarto pra cada um. Com o meu irmão funciona." (Lorenzo) "Querido Jesus, eu gosto muito do padre-nosso. Você escreveu tudo de uma só vez, ou você teve que ficar apagando? Qualquer coisa que eu escrevo eu tenho que refazer um monte de vezes." (Franco) "Querido Jesus, nós estudamos na escola que Thomas Edison inventou a luz. Mas no catecismo dizem que foi você. Pra mim ele roubou a sua idéia.“ (Daria) "Querido Jesus, em vez de você fazer as pessoas morrerem e aí criar novas pessoas, por que você não fica com as que já tem?" (Marcello) "Querido Jesus, você é invisível mesmo ou é só um truque?" (Giovanni)

PARA LEVAR EM CONTA

Um homem atraente, de meia idade, entrou em um bar e se sentou. Antes de fazer o pedido não deixou de perceber que um grupo de homens mais jovens que bebiam em uma mesa perto da sua, riam dele. Somente quando se lembrou da pequena fita rosa que levava na lapela de seu blazer foi que se deu conta que se tratava de uma gozação. O homem não deu maior importância, mas os insistentes risos na mesa vizinha começaram a incomodá-lo. Olhou a um dos homens diretamente nos olhos, levou o dedo até a lapela e apontou a fita: “Isto?” Com este gesto todos os homens da mesa riram abertamente. O homem ao qual dirigiu o olhar lhe disse: “Desculpe amigo, mas estavamos comentando como está bonito com esta fitinha rosa no blazer azul”. Com toda calma, o homem fez um gesto para o gozador convidando-o a se aproximar e sentar com ele à sua mesa. Ainda que estivesse bastante incomodado o homem mais jovem se aproximou e sentou-se. O homem mais velho com uma voz muito calma lhe disse: - “Uso esta fita para chamar atenção sobre o câncer da mama”. “A uso em honra à minha mãe". - ”Sinto muito, amigo, Ela morreu de câncer da mama? ". - "Não. Ela está sadia e muito bem. Mas seus seios me alimentaram quando eu era um bebê e foram abrigo quando tive medo ou me senti só em minha infância. Estou muito agradecido aos seios de minha mãe e por sua saúde”. - "Entendo", respondeu o outro, não muito convencido. "Também uso esta fita para honrar à minha mulher", continuou dizendo o homem. - ”E ela também está bem?" - "Claro que sim. Seus seios foram fonte de amor, para ambos. Com eles alimentou a nossa bela filha de 23 anos. Estou muito grato pelos seios de minha mulher e por sua saúde". - ”Já sei. Suponho que também usa a fita para honrar a sua filha". "Não. É muito tarde para isto. Minha filha morreu de câncer da mama faz um mês. Ela pensou que era muito jovem para ter câncer, assim quando acidentalmente notou uma pequena protuberancia a ignorou. Ela pensou que como não a incomodava nem doía não havia com que se preocupar". Comovido e envergonhado o estranho disse : ”Sinto muito, senhor." - "Portanto, também em memória de minha filha uso esta fitinha com muito orgulho. Isto me dá oportunidade de falar com outros. Quando voltar para a sua casa fale com a sua esposa, suas filhas, sua mãe, suas irmãs, suas amigas. Tome...", o homem buscou no bolso e entregou ao outro uma pequena fita rosa. Ele a pegou, olhou-a, lentamente levantou a cabeça e lhe disse: “Poderia me ajudar a colocá-la?"

Oração dos Estressados

Senhor, dê-me serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar, Coragem para mudar as coisas que não posso aceitar, e sabedoria para esconder os corpos daquelas pessoas Que eu tiver que matar por Estarem me enchendo o saco. Também, me ajude a ser cuidadoso com os calos em Que piso hoje, Pois eles podem estar diretamente conectados aos sacos que terei que puxar amanhã. Ajude-me, sempre, a dar 100% de mim no meu Trabalho... 12% na segunda-feira, 23%, na terça-feira, 40% na quarta-feira, 20% na quinta-feira, 5% na sexta-feira. E... Ajude-me sempre a lembrar, quando estiver Tendo um dia realmente ruim e todos parecerem estar Me enchendo o saco, que são necessários 42 músculos Para socar alguém e apenas 4 para estender meu dedo médio e mandá-lo para aquele lugar... Que assim seja!!!

8 de nov de 2007

Desabafo

Um dia desses eu estava na porta do supermercado aqui perto de casa. De coração distraído, e acho que por isso fui atingida. Foi uma mulher, sentada ali perto, que me acinzentou o dia. Sem querer e sem saber. É que, olhando pra ela, eu senti que havia algo de estranho. Eu não sabia dizer o que era, mas não estava certo. Alguma coisa fora do lugar, algo pelo avesso. Conversava com outras duas mulheres. E reclamava de tudo. Do marido, que ganhava pouco e devia trabalhar mais. Dos filhos, que não ligavam para ela. Dos netos, que davam muita despesa para os filhos. Do patrão, que não reconhecia seu trabalho. Do governo, que era corrupto. Da comida, que tinha calorias demais. Do tempo, que estava muito quente. Juro. Minha alma passional poderia me fazer exagerar, mas aqui nem seria preciso. Porque em menos de quinze minutos eu a ouvi reclamando de pelo menos umas quinze coisas diferentes. Tudo tinha algum defeito, nada era como ela gostaria, tudo tinha que ser diferente do que era. Aí que eu entendi. E ficou clara a razão da estranheza. O que tinha aquela mulher que havia me incomodado e me ferido tanto desde o momento em que a vi e passou a fazer parte do meu mundo. É que ela era indefinida. Era velha sem ser velha. Uma incompatibilidade, uma incongruência entre a idade do corpo e a idade da alma. Uma coisa tão estranha que fica até difícil definir. Ela não era velha. Cronologicamente, quero dizer. Tinha o que? No máximo, quarenta e cinco. Mas tinha alma centenária. E daquelas que só acumulam cansaço e desilusão. Nunca sabedoria. Porque falava como quem já viveu tudo o que tinha para viver e um pouco mais. Como quem já cansou e desistiu. Ela reclamou, reclamou, reclamou. E se foi. E eu fiquei ali pensando. Meio perdida, entre assustada e entristecida. Porque se tem uma coisa que me apavora e ameaça é essa derrota. Ser derrotada pelo tempo, pela vida, pelas dores. Deixar-me vencer pelo que não foi, pelo que não deu, pelo que não fiz. Isso é tudo o que não quero pra mim, nunca. Posso perder, sim. Posso cair. Mas a derrota, essa nunca. Para essa eu quero sempre fechar a porta. É por isso que rezo todos os dias (para o meu deus, aquele que é só meu, e que só eu conheço e sei o que significa) e peço que nunca deixe de me permitir. Que me conceda, sempre. Que afaste de mim a impossibilidade .O conformismo. Porque sei que nada disso cabe em mim. Não na pessoa que eu quero ser. E que estou aprendendo a construir. Que eu possa lutar. E ter alegria. Amar. E ser amada. E ter alguém pra me segurar a mão. Hoje e sempre. É o que me basta.

TUDO NA VIDA É RELATIVO

Fim de tarde, um ginecologista aguarda sua última paciente que não chega. Depois de 45 minutos, ele supõe que ela não virá mais e resolve tomar um gin tônica para relaxar, antes de enfrentar o trânsito e voltar para casa. Elese instala confortavelmente numa poltrona e começa a ler o jornal quandotoca a campainha. É a tal paciente, que chega toda sem graça e pede mil desculpas pelo atraso. - Não tem importância, imagine! - responde o médico - Olhe, eu estava tomando um gin tônica enquanto a esperava. Quer um tambémpara relaxar? - Aceito com prazer - responde a paciente aliviada. Ele lhe serve um copo, senta-se na sua frente e começam a bater papo. De repente ouve-se um barulho de chave na porta do consultório. O médico tem um sobressalto, levanta-se bruscamente e diz: - É minha mulher! Rápido, tire a roupa, deite na cama e abra as pernas, senão ela pode pensar bobagem.! TUDO NA VIDA É RELATIVO

Marta na Itália

A ex-prefeita Marta Suplicy viajou para a Itália e resolveu assistir a uma missa do Papa no Vaticano. Terminada a missa, Marta não se conteve e foi fazer uma pergunta ao Papa: - Por favor, Vossa Santidade, por acaso existe algum banheiro aqui dentro? É que eu estou apertadíssima, preciso fazer xixi, o senhor entende...? O Papa pensou, pensou e respondeu: - Banheiro não tem, mas logo ali naquele cantinho tem uma estátua de São Pedro. Pode fazer xixi lá. - Tudo bem, se é Vossa Santidade que está falando eu vou, mas não é pecado fazer xixi em São Pedro? - É, mas pra quem já cagou em São Paulo, isso não faz a menor diferença.

Cremação da Sogra

Após a cerimônia de cremação da velha, todos os familiares e amigos dela se encontram ao redor da urna contendo as cinzas e olhando o forno ainda quente... Depois de alguns minutos em que muitos murmuravam diante da cena... o genro que havia bebido todas, pede a palavra para discursar. Sobe em uma cadeira com dificuldade e brada na maior comoção etílica: - E agora meus amigos, uma salva de palmas para o churrasqueiro!!! ( Se vc rir, é pq vc é muito mau!!!!!!) Vc riu né??!!!!!!!!

Experimente este remédio

Isto é uma notícia verdadeiramente interessante : Experimente este remédio Ele funciona 100% das vezes apesar dos cientistas no Conselho de Pesquisa em Canadá (que o descobriram) não terem certeza por que. Para parar uma tosse noturna em uma criança (ou adulto como nós mesmos descobrimos) , coloque Vick Vaporoub generosamente na sola dos pés na hora de dormir, depois cubra com meias. Mesmo uma tosse profunda, pesada e persistente cessará dentro de cerca de 5 minutos e continuará parada por muitas e muitas horas de alívio. Funciona 100% das vezes e é mais eficaz em crianças de que até uma forte prescrição de remédios contra tosse Além disto, é extremamente suavizante e confortante e as crianças dormirão profundamente. Então, se você tiver filhos/netos, passe isto em diante. Se você ficar doente, experimente em você mesmo e você ficará absolutamente surpreso.

O Lula nega

O Lula nega, mas todo mundo está falando do negócio do terceiro mandato. E se ele lançasse a mulher, a dona Marisa! Tem até jingle: "De mulher pra mulher, Marisa..." Slogan, também: "Marisa 2010: muda para a muda". A dona Marisa não fala! O Lula está mais pronto para a terceira idade do que para o terceiro mandato! Antitucanês, mais direto impossível

NÃO-musa do verão

Continua a polêmica da nossa NÃO-musa do verão, a Susana Vieira. Ela ta parecendo uma vassoura de cabeça pra baixo com aquele perucão loiro. Já chamaram ela de Cuca, do Sítio do Pica-pau Amarelo, de Mãe Loura do Funk e até Pámela Anderson. Mas o Simão revela com que ela parece, mesmo. O Gandalf, do Senhor dos Anéis. Na verdade, parece que o Gandalf precisa tomar mais leite adulterado! E o marido da Susana Vieira disse que ela parece uma paquita. Isso que é cegueira seletiva!

Cartilha do Lula

Antagônica - companheira Lucianta Gimenez quando entra em agonia!

6 de nov de 2007

De que ri a Mona Lisa?

Affonso Romano de Sant'Anna Estou na sala Da Vinci, no Louvre. Aqui penetrei encaminado por uma seta que dizia "Sala Da Vinci". É como se fosse uma indicação para uma grande avenida no trânsito de uma cidade. Não que a seta seja apelativa ou extraordinária. Mas reconheço que nela está escrito implicitamente algo mais. É como se sob aquelas letras estivesse escrito: "Preparem o seu coração para um encontro histórico com a Gioconda e seu indecifrável sorriso". E tanto é assim que as pessoas desembocam nesta sala e estacionam diante de um único quadro - o da Mona Lisa. Do lado esquerda da Gioconda, dezesseis quadros de renascentistas de primeiro time. Do lado direito, dez quadros de Rafael, Andrea del Sarto e outros. E na frente, mais dez Ticianos, além de Veroneses, Tintorettos e vários outros quadros do próprio Da Vinci. Mas não adianta, ninguém os olha. Estou fascinado com este ritual, E escandalizado com o que a informação dirigida faz com a gente. Agora, por exemplo, acabou de acorrer aos pés da Mona Lisa um grupo de japoneses: caladinhos, comportadinhos, agrupadinhos diante do quadro. A guia fala-fala-fala e eles tiram-tiram-tiram fotos num plic-plic-plic de câmeras sem flash. Sim, que é proibido foto com flash, conforme está desenhado num cartaz para qualquer um entender. E lá se foram os japoneses. A guia os arrastou para fora da sala e não os deixou ver nenhum outro quadro. E assim as pessoas vão chegando sem se dar conta de que sobre a porta da entrada há um gigantesco Veronese, Bodas de Caná. É singularíssimo, porque o veneziano misturou a festa de Caná com a "última ceia". Cristo está lá no meio da mesa, num cenário greco-romano. O pintor coloou a escravaria no plano superior da tela e ali há uma festança com a presença até de animais. Entrou agora na sala outro grupo. São espanhóis e italianos. "Veja só os olhos dela", diz um à sua esposa, exibindo o original senso crítico. "De qualquer lado que se olha, ela nos olha", diz outro parecendo ainda mais esperto. "Mas, que sorriso!", acrescentou outro ainda. E se vão. Ao lado esquerdo da Mona Lisa reencontro-me com dois quadros de Da Vinci. Mas como as pessoas não foram treinadas para se extasiar diante deles, são deixados inteiramente para mim. São A Virgem dos Rochedos e São João Batista. Este último me intriga particularmente. É que este São João assim andrógino tem uma graça especial. E mais: tem o rosto muito semelhante ao de Santa Ana, do quadro Santa Ana, a Virgem e o Menino, no qual Freud andou vendo coisas tão fantásticas, que se não explicam o quadro pelo menos mostram como o psicanalista era imaginoso. Chegou um bando de garotos ingleses-escoceses-irlandeses, vermelhinhos, agitadinhos, de uniforme. Também foram postos diante da Mona Lisa como diante do retrato de um ancestral importante. Só diante dela. O guia falava entusiasmado como se estivesse ante o quadro de uma batalha. E ele ali, talvez, achando graça da situação. Enquanto isto ocorre, estou enamorado da Belle Ferronière, do próprio Da Vinci, que embora possa ser a própria Mona Lisa de perfil, ninguém olha. Chegou agora um grupo de jovens surdos-mudos holandeses. Postaram-se ali perplexos, o guia falou com as mãos e foram-se. Cheou um grupo de africanos. E repete-se o ritual. E ali na parede os vários Rafaéis, outros Da Vincis, do lado esquerdo os dezesseis renascentistas de primeira linha, do lado direito os dez quadros de Rafael, Andrea del Sarto e outros e na frente mais dez Ticianos, além dos Veroneses, Tintorettos etc., que ninguém vê. O ser humano é fascinante. E banal. Vêm para ver. Não vêem nem o que vêem, nem o que deviam ver. Entende-se. Aquele cordão de isolamente em torno da Mona Lisa aumenta sua sacralidade. E tem um vigia especial. E um alarme especial contra rouba. Quem por ali passou defronte dela acionando sua câmera, pode voltar para a Oceania, Osaka e Alasca com a noção de dever cumprido. Quando disseram que viram a Mona Lisa, serão mais respeitados pelos vizinhos. Mal entra outro grupo de turistas para repetir o ritual, percebo que Mona Lisa me olha por sobre o ombro de um deles e sorri realmente. Agora sei do que ri a Mona Lisa. O que a MONA LISA faz quando o LOUVRE está fechado...

ESTAS SÃO DE ESPANTAR

MISTÉRIOS DO WORD CASO 1 Faça o seguinte: 1. Escrevam no 'Word' em letras maiúsculas: Q33 NY (referente a quadra 33 de Nova Iorque, que é onde estavam as torres gemeas do dia 11 de Setembro 2001). 2. Selecionem e aumentem o tamanho da letra para 72. 3. Selecionem e mudem o tipo de letra para Wingdings. Veja o resultado. Caso 2 - ESSA EU QUERO VER QUEM EXPLICA... Para esta nem o Bill Gates encontrou explicação : 1. Abra o Word 2. Escreva: =rand(200,99) 3. Tecle enter e espere 3 segundos. O que é isto??? Alguém consegue explicar???

4 de nov de 2007

População brasileira

A população brasileira é de 170 milhões de habitantes. Desse número, 62 milhões são aposentados. Isso faz com que sobrem 108 milhões para fazer o trabalho. Há 29 milhões nas escolas, o que deixa 79 milhões para fazer o trabalho. Desses, 49 milhões trabalham para o governo federal. Isso deixa 30 milhões para fazer o trabalho. Dois milhões estão nas Forças Armadas, o que deixa 28 milhões para fazer o trabalho. Tire daí, os 24,8 milhões que estão nos governos estaduais e municipais (que não fazem nada) e temos 3,2 milhões de pessoas para fazer o trabalho. Há 1 milhão de pessoas nos hospitais, o que nos deixa 2,2 milhões de pessoas para fazer o trabalho. Tire desses, os 200 mil que estão nas prisões e sobram 2 milhões para fazer o trabalho. Como há 1 milhão 999 mil e 998 pessoas desempregadas, isso faz com que sobrem apenas duas pessoas para fazer o trabalho: Você e eu! E, como você esta aí prestando a atenção nessa mensagem... fico eu aqui trabalhando...

Dicionário Brasileiro de Prazos?




Para evitar que estrangeiros fiquem pegando injustamente no nosso pé, está sendo compilado o Dicionário Brasileiro de Prazos???

DEPENDE: Envolve a conjunção de várias incógnitas, todas desfavoráveis. Em situações anormais, pode até significar sim, embora até hoje tal fenômeno só tenha sido registrado em testes teóricos de laboratório. O mais comum é que signifique diversos pretextos para dizer não.

J?? J??: Aos incautos, pode dar a impressão de ser duas vezes mais rápido do que já. Ledo engano; é muito mais lento. Faço já significa “passou a ser minha primeira prioridade”, enquanto “faço já já” quer dizer apenas “assim que eu terminar de ler meu jornal, prometo que vou pensar a respeito.”

LOGO: Logo é bem mais tempo do que dentro em breve e muito mais do que daqui a pouco. É tão indeterminado que pode até levar séculos. Logo chegaremos a outras galáxias, por exemplo. É preciso também tomar cuidado com a frase Mas logo eu?, que quer dizer Tô fora.

MÊS QUE VEM: Parece coisa de primeiro grau, mas ainda tem estrangeiro que não entendeu. Existem só três tipos de meses: aquele em que estamos agora, os que já passaram e os que ainda estão por vir. Portanto, todos os meses, do próximo até o Apocalipse, são meses que vêm!

NO M??XIMO: Essa é fácil: quer dizer no mínimo. Exemplo: Entrego em meia hora, no máximo. Significa que a única certeza é de que a coisa não será entregue antes de meia hora.

PODE DEIXAR: Traduz-se como nunca.

POR VOLTA: Similar a no máximo. É uma medida de tempo dilatada, em que o limite inferior é claro, mas o superior é totalmente indefinido. Por volta das 5h quer dizer a partir das 5 h.

SEM FALTA: É uma expressão que só se usa depois do terceiro atraso. Porque depois do primeiro atraso, deve-se dizer “fique tranqüilo que amanhã eu entrego.” E depois do segundo atraso, “relaxa, amanhã estará em sua mesa. Só aí é que vem o amanhã, sem falta.”

UM MINUTINHO: É um período de tempo incerto e não sabido, que nada tem a ver com um intervalo de 60 segundos e raramente dura menos que cinco minutos.

VEJA BEM: É o day after do depende. Significa “viu como pressionar não adianta?” É utilizado da seguinte maneira: “Mas você não prometeu os cálculos para hoje?” Resposta: “Veja bem…” Se dito neste tom, após a frase “não vou mais tolerar atrasos, OK?”, exprime dó e piedade por tamanha ignorância sobre nossa cultura.

Z??S-TR??S: Palavra em moda até uns 30 anos atrás e que significava ligeireza no cumprimento de uma tarefa, com total eficiência e sem nenhuma desculpa. Por isso mesmo, caiu em desuso e foi abolida do dicionário.

Não posso estar assim tão velha

Já aconteceu de vc pensar "não posso estar assim tão velha”! Eu estava sentada na sala de espera para a minha primeira consulta com uma nova dentista, quando observei que o seu diploma estava dependurado na parede. Estava escrito o seu nome, e de repente eu me recordei de uma morena alta, que tinha esse nome. Era da minha classe do colegio, uns 30 anos atrás, e eu me perguntava: poderia ser a mesma garota? Quando entrei na sala de atendimento, imediatamente afastei esse pensamento do meu espírito. Esta senhora grisalha, o rosto marcado, profundamente enrugado, era demasiadamente velha pra ter sido quem pensava ser... Que é que é isso!? Depois que ela examinou o meu dente, perguntei-lhe se ela foi do tal Colégio. "Sim", respondeu-me. "Quando se formou?", perguntei. em 1970." Por que esta pergunta?"," respondeu. "Bem, você era da minha classe", eu exclamei. E então esta velha horrível, cretina, me perguntou: "A Sra. era professora de quê?

Senhor me ajude a nunca desistir de ser mulher.

Coloque um espelho no meio do meu caminho entre a lavanderia, o supermercado, o sapateiro... E que, ao me olhar, eu goste do que vejo. Não deixe que eu passe uma semana sem usar batom bem vermelho, uma bota bem alta ou um jeans bem justo. Proteja meus cabelos do vento, os brinco e anéis dos olhares invejosos. Nunca deixe faltar na minha vida comédias românticas e boas depiladoras. Se eu tiver vontade de chorar, faça com que eu chore um dilúvio E que tenha saído de casa sem pintar o olho. Para cada dia triste, me dê uma vitrine com sapatos lindos. Já que eu nunca pedi milagres, faça que minha celulites sejam ao menos discretinhas. Me dê saúde, tempo livre, e silêncio... E que nunca falte perfume na minha bolsa. Nos engarrafamentos, faça com que eu ligue o rádio e esteja tocando minha música preferida Me dê forças para comer mais saladas, mais frutas Cegue meus olhos para as sujeiras dos cantos. Ajude para que eu chegue do trabalho inteira. Em dias difíceis, me dê persistência para seguir na dieta. Dê também firmeza para os seios... Proteja minhas poucas horas de sono e não me julgue mal caso eu não acorde na hora. Não deixe que minha testa fique tão franzida a ponto de parecer uma saia plissada. E eu, uma louca estressada. Faça com que o sol seja meu personal trainer, meu complexo de vitaminas, meu carregador de bateria... Mas quando eu pedir um diazinho de chuva, não pergunte por quê. Para cada batata quente no trabalho, me dê um café recém-passado. Entenda que, quando rezo para cancelarem uma reunião (não é gastar reza à toa, pode ter certeza) No meio de tudo isso, faça com que eu ache tempo para: Virar namorada de novo, Ir no cinema Jantar fora Dormir abraçadinha... Ilumine o espelho do banheiro e proteja meus cremes e segredos...... Ajude a não faltar gasolina e não furar o pneu e, por favor, afaste os motoqueiros do meu retrovisor. Senhor, por pior que seja o meu dia........ Faça com que ele termine, E não eu. Amém!

PRECISAMOS DA SUA COLABORAÇÃO:

AVISO URGENTE ! ! ! Precisamos da sua ajuda!!! O " Comando do Pcc" seqüestrou um grupo completo de deputados do: PDSB,PFL, PTB, PL, PRN e PMDB. Estão solicitando US$ 1.000.000.00 para sua libertação. Se não for cumprido em 24 horas, vão banhá-los com combustível e queimá-los vivos. Estamos organizando uma coleta e necessitamos da sua ajuda !!!!!! Já conseguimos: 580 litros de Gasolina Aditivada 320 litros de gasolina Premium 125 litros de diesel 175 de gasolina convencional 8 caixas de fósforos e... 21 isqueiros Não mandem álcool, pois o mesmo pode ser consumido pelos sequestrados. Aceita-se também botijão de gás. Se você apagar essa mensagem, não tem coração... por favor, leia e ajude . "O BRASIL PRECISA DE VOCÊ"!!! . BRASIL UM PAIS DE TODOS

Excelentes endereços de pesquisa.

01. Quando for comprar qualquer coisa não deixe de consultar o site GastarPouco. http://www.gastarpouco.com/ 02. Serviço dos cartórios de todo o Brasil, que permite solicitar documentos via internet: http://www.cartorio24horas.com.br/index.php%20 03. Site de procura e reserva de hotéis em todo o Brasil ,por cidade, por faixa de preços, reservas etc.: http://www.hotelinsite.com.br/ 04 . Site que permite encontrar o transporte terrestre entre duas cidades, a transportadora, preços e horários: https://appweb.antt.gov.br/transp/secao_duas_localidades.asp'%20 05 . Encontre a Legislação Federal e Estadual por assunto ou por número, além de súmulas dos STF, STJ e TST: www.soleis.adv.br 06. Tenha a telinha do aeroporto de sua cidade em sua casa,chegadas e partidas: http://www.infraero.gov.br/pls/sivnet/voo_top3v.inip_cd_aeroporto_ini=+ 07. Encontre a melhor operadora para utilizar em suas chamadas telefônicas: http://sistemas.anatel.gov.br/sipt/Atualizacao/Importante.aspp'+ 08. Encontre a melhor rota entre dois locais em uma mesma cidade ou entre duas cidades, sua distância, além de localizar a rua de sua cidade: www.mapafacil.com.br 09 . Encontre o mapa da rua das cidades, além de localizar cidades: http://mapas.terra.com.br/Callejero/home.asp+ 10 Confira as condições das estradas do Brasil, além da distância entre as cidades: http://www.dnit.gov.br/ 11. Caso tenha seu veiculo furtado, antes mesmo de registrar ocorrência na polícia, informe neste site o furto.O comunicado às viaturas da DPRF é imediato: www.dprf.gov.br/ver.cfmlink==form_alerta 12. Tenha o catálogo telefônico do Brasil inteiro em sua casa. Procure o telefone daquele amigo que estudou contigo no colégio: www.102web.com.br 13. Confira os melhores cruzeiros,datas, duração,preços, roteiros, etc.: www.bestpricecruises.com/default.asp 14. Vacina anti-câncer (pele e rins). OBS: ESTA VACINA DEVE SER SOLICITADA PELO MÉDICO ONCOLOGISTA: www.vacinacontraocancer.com.br/hybricell/home.html 15. Indexador de imagens do Google - captura tudo que é foto e filme de dentro de seu computador e os agrupa, como você desejar: www.picasa.com 16. Semelhante ao Internet Explorer , porem muito mais rápido e eficiente, e lhe permite adicionar os botões que desejar, ou seja, manipulado como você o desejar: www.mozilla.org.br/firefox 17. Site de procura, semelhante ao GOOGLE: http://www.gurunet.com/ 18 . Site que lhe dá as horas em qualquer lugar do mundo: www.timeticker.com/main.htm 19 . Site que lhe permite fazer pesquisas dentro de livros: http://www.a9.com/ 20. Site que lhe diz tudo do Brasil desde o descobrimento por Cabral: http://www.historiadobrasil.com.br/ 21. Site que o ajuda a conjugar verbos em 102 Idiomas: http://www.verbix.com/ 22. Site de conversão de Unidades: www.webcalc.com.br/conversões/area.html 23 . Site para envio de e-mails pesados, acima de 50Mb: http://www.dropload.com/ 24. Site para envio de e-mails pesados, sem limite de capacidade: http://www.sendthisfile.com/ 25 . Site que calcula qualquer correção desde 1940 até hoje, informando todos os indices disponiveis no mercado financeiro. Grátis para Pessoa Física: www.debit.com.br 26. Site que lhe permite falar e ver pela internet com outros computadores,ou LHE PERMITE FALAR DE SEU COMPUTADOR COM TELEFONES FIXOS E CELULARES EM QUALQUER LUGAR DO MUNDO GRÁTIS - De computador para computador, voz + imagem. De computador para telefone fixo ou celular: www.skype.com 27. Site que lhe permite ler jornais e revistas de todo o mundo. www.indkx.com/index.htm 28. Site de procura de pessoas e empresas nos EUA. Só para achar a pessoa ou a empresa com endereço e telefone-GRATIS. Se quizer levantamento completo de tudo o que a pessoa tem como patrimonio, tudo que teve de problema judicial e financeiro, e outras coisas mais, ai pode custar até US$80,00 com valores intermediarios: http://www.ussearch.com/consumer/index.jsp 29. Site de camaras virtuais, funcionando 24 hs por dia ao redor do mundo: http://www.earthcam.com/ 30. Site de mapas que identificam endereços do Brasil inteiro e dá sugestões de rotas:

Moral da História

Estavam 2 caipiras caçando no meio do mato,quando eles vêem lá no céu uma asa delta.Espantado um comenta com o outro:-Nossinhora!Qui passarinhão grande,sô! -Grandão mesmo cumpadi.Vamo caçá ele? -Vamu! E POW!1 tiro bem na asa delta. -I aí parceiro,será qui o bichão morreu? -Ó si o passarinhão morreu num sei,não,mas que soltou o homi que ele tava segurano soltou! Certos fatos da vida restringem as ações humanas que parecem mutilar o corpo e o espírito.Mas é preciso refazer-se.Como a árvore que,depois de podada e desfigurada,cresce bonita,revigorada.A vida é uma constante mutação.A morte da primavera é o nascimento do verão.Não raro,é necessário tornar-se outra pessoa,matar em nós aquilo que nos prende,nos faz sofrer.É necessário morrer para dar lugar a um novo ser,abrir caminho,renascer,pisar outro chão. “O homem que venceu na vida é aquele que viveu bem,riu muitas vezes e amou muito."

Um dia seremos tds felizes

"Haverá um dia em que todos voltaremos a ser felizes... Será o dia em que "Rosinhas" voltarão a ser apenas flores; "Garotinhos" apenas crianças; "Genuínos" serão coisas verdadeiras; "Serra" será apenas um acidente geográfico ou uma ferramenta; "Genro" apenas o marido da filha; "Lula" apenas um molusco marinho; e, "Severino", apenas o porteiro do prédio..."

Se um cachorro fosse seu professor..

Você aprenderia coisas assim: Quando alguém que você ama chega em casa,corra ao seu encontro. Nunca perca uma oportunidade de ir passear de carro. Permita-se experimentar o ar fresco do vento no seu rosto. Mostre aos outros que estão invadindo o seu território. Tire uma sonequinha no meio do dia e espreguice antes de levantar. Corra, pule e brinque todos os dias. Tente se dar bem com o próximo e deixe as pessoas te tocarem. Não morda quando um simples rosnado resolve a situação. Em dias quentes, pare e role na grama, beba bastante líquidos e deite debaixo da sombra de uma árvore. Quando você estiver feliz,dance e balance todo o seu corpo. Não importa quantas vezes o outro te magoa,não se sinta culpado...volte e faça as pazes novamente. Aproveite o prazer de uma longa caminhada. Se alimente com gosto e entusiasmo. Coma só o suficiente. Seja leal. Nunca pretenda ser o que você não é. Se você quer se deitar embaixo da terra cave fundo até conseguir. E o MAIS importante de tudo... Quando alguém estiver nervoso ou triste,fique em silêncio,fique por perto e mostre que você está ali para confortar. A amizade verdadeira não aceita imitações!!! E NÓS PRECISAMOS APRENDER ISTO COM UM ANIMAL QUE, DIZEM, É IRRACIONAL... .

Ano

Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão. Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar, que daqui para diante vai ser diferente.” (Carlos Drummond de Andrade)

Aprendi

seja Maquiavélica: faça o bem aos pouquinhos e o mal de uma única vez. que sem todos os meu erros e dos outros que ocorreram eu não estaria preparada para a pessoa que tenho hoje comigo

27 de out de 2007

Noooooooosssssssssaaaaaa

Decepção... Levanto da cama, me olho no espelho e descubro que sou vesgo. Procuro freneticamente nos bolsos, para ver minha foto na identidade, para ver se na foto sou realmente daquele jeito, acho um passaporte e descubro... que sou argentino... Não pode ser, meu Deus!!! Sento-me inconsolável em uma cadeira. Mas não é possível !!! É uma cadeira de rodas, o que significa que, além de ser vesgo e argentino, sou também deficiente físico!!! É impossível, digo para mim mesmo, que eu seja vesgo, argentino e deficiente físico... - Amoooooor..., grita uma voz atrás de mim. É o meu namorado.... Cacete! Sou também viado... - Foi você que pegou a minha seringa? Ó Deus! Vesgo, argentino, deficiente físico, viado, viciado e soropositivo!!! Desesperado, começo a gritar, a chorar, a arrancar os cabelos e...Nãooo!!!!! Sou careca!!! Toca o telefone. É meu irmão, que diz: - Desde quando mamãe e papai morreram, você só faz se entupir de drogas, vagabundeando o dia inteiro! Procura um emprego, arranja algum trabalho!' Que merda, descubro que também sou desempregado !!! Tento explicar ao meu irmão que é difícil encontrar trabalho quando se é vesgo, argentino, deficiente físico, viado, viciado, soropositivo, careca e órfão, mas não consigo, porque....porque sou gago!!!! Transtornado, desligo o telefone, com a única mão que tenho, e, com lágrimas nos olhos, vou até a janela olhar a paisagem. Milhões de barracos ao meu redor... Sinto uma punhalada no marca-passo: além de vesgo, argentino,deficiente físico, viado, viciado, soropositivo, careca, órfão, gago,maneta e cardíaco, sou também favelado... Começo a passar mal e sentir um calafrio e dirijo-me ao guarda-roupa para pegar uma agasalho, e para minha surpresa, quando abro a gaveta encontro uma camisa do.......... Corinthians !!!!!!!!!!!!! Aí já é sacanagem...entro em surto pois além de vesgo, argentino,deficiente físico, viado, viciado,soropositivo, careca, órfão, gago,maneta, cardíaco, sou também favelado... e corinthiano .... Puta que o pariu!!!! Nesse momento, volta o meu namorado e diz: - Amooor, vamos !!! Se não chegaremos atrasados à convenção nacional do PT... NÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOO !!!!!!!!!! NÃÃÃÃÃOOOOOOOOOOOO

26 de out de 2007

A CADELINHA SCHNAUZER

Uma senhora levou sua cadelinha Baluga, sua Schnauzer ao veterinário porque reparou que o animalzinho ouvia mal. O veterinário examinou a cadelinha e disse que não havia problema de audição, que ela apenas tinha muitos pêlos nas orelhas e aconselhou a senhora a aplicar-lhe um creme depilatório. A senhora foi à farmácia comprar o produto e o farmacêutico a avisou : "Se é para depilar debaixo dos braços, não use desodorante por alguns dias". A senhora respondeu : "Não, não é para usar debaixo dos braços". O farmacêutico continuou : "Se é para depilar as pernas, não use creme com álcool durante alguns dias". A senhora respondeu : "Não, não é para usar nas pernas". E, já um pouco aborrecida, disse-lhe: "Se quer saber, é para usar na minha Schnauzer". O consciencioso farmacêutico ficou vermelho mas respondeu-lhe: "Então, não ande de bicicleta durante alguns dias" ...

QUAL É A MARCA?

O primo da cidade foi passar o natal com os parentes do sítio. No dia de Natal tava lá discutindo com o primo caipira o que tinha ganhado de presente. Aí o primo da cidade querendo esnobar o pobre falou: - Primo, viu o que eu ganhei de presente? Um "iPod"!! É bom. É espetacular. O primo caipira retrucou: - É bão memo primo, muito bão!! Aí o da cidade perguntou: - Como bom, primo, o que foi que você ganhou? - Ganhei isso aí tamém, uai. - Mas quem te deu? - Minha namorada. - E de que marca era?? - Sei lá primo. Nóis tava na cachoera nadano pelado. Eu cheguei por trás dela e encostei. Ela virou pra mim e falou: - Ai, pode!. É muito bão memo primo, agora si tem marca, eu sei não...

A DESCOBERTA

Joãozinho completa 9 anos e seu pai lhe pergunta: - Meu filho, você sabe como nascem os bebês? O menino assustado, responde: - Não quero saber! Por favor, prometa que não vai me contar, pai! O pai, confuso, não se conforma, e pergunta: - Mas por que você não quer saber, Joãozinho ? - E o menino, soluçando, responde: - Aos 6 anos me contaram que não existe coelho da Páscoa; aos 7 descobri que não existem fadas-madrinhas, nem sereias, nem o Saci Pererê, aos 8 entendi que o Papai Noel é você! Se agora eu descobrir que os adultos não trepam, não vejo mais razão para continuar vivendo!!!

'O judeu e o padre'

Num banquete, sentaram um padre católico ao lado de um rabino judeu. O padre, querendo gozar o rabino, enche o prato com pedaços de um suculento leitão e depois oferece para o 'colega'. O rabino recusa, dizendo: - Muito obrigado, mas...não sabe que a minha religião não permite a carne de porco? - Francamente! Que religião esquisita! Comer leitão é uma delííícia! Comenta o padre com ironia. Na hora da despedida, o rabino chega e diz ao padre: - Mande minhas recomendações a sua mulher! E o padre, horrorizado: - Minha mulher? Não sabe que a minha religião não permite casamento de sacerdotes? - Francamente! Que religião esquisita! Comer mulher é uma delííícia!...mas se você prefere leitão..

BOPE - Lenda do Capitao Nascimento...

Um dia quiseram ver quem era o melhor: McGyver, Jack Bauer, ou Cap. Nascimento. Chegaram pro McGyver e falaram: A gente soltou um coelho nessa floresta. Encontre mais rapido que os outros e você será considerado o melhor! McGyver pegou uma moeda de 5 centavos no chão, um graveto e uma pedra e entrou na floresta. Demorou 2 dias pra construir um detector de coelhos em floresta e voltou no 3o dia com o coelho. Dai chegaram pro Jack Bauer e falaram a mesma coisa. Ele entrou correndo na floresta e 24 horas depois apareceu com o coelho. Pediu desculpas porque teve q desarmar 5 bombas nucleares, recuperar 15 armas quimicas, escapar de um navio cargueiro que ia pra china e matar 100 terroristas pra chegar ate o coelho Dai pediram para o Cap. Nascimento ir buscar o coellho. Se ele demorasse menos de 24 horas ele seria o melhor. No que ele respondeu: - Tá de sacanagem comigo 05? Ce ta de sacanagem comigo? Você acha que eu tenho um dia inteiro pra perder com essa porra de brincadeira, 05 ? Tu eh mu-le-que! MU-LE-QUE 05!!! Virou-se calmamente para a floresta e gritou: - Pede pra sair!!! Pede pra sair cambada!!! Em menos de 5 segundos, já tinham saido da floresta: 300 coelhos, 20 jaguatiricas, 50 jacarés, 1000 paca-tatu-cotia-não, o Shrek e o monstro fumaça do Lost. Dai ele gritou: - 02, tem gente com medinho de sair da floresta, 02! - 07, traz a 12! Nisso o Bin Laden saiu da floresta correndo!!!

23 de out de 2007

Essa tem que chegar a Brasília. É ótima!

MUITO BOA!!!! A Morte do Senador: Um senador está andando tranqüilamente quando é atropelado e morre. A alma dele chega ao Paraíso e dá de cara com São Pedro na entrada. -"Bem-vindo ao Paraíso!"; diz São Pedro -"Antes que você entre, há um probleminha. Raramente vemos parlamentares por aqui, sabe, então não sabemos bem o que fazer com você. -"Não vejo problema, é só me deixar entrar", diz o antigo senador. -"Eu bem que gostaria, mas tenho ordens superiores.. Vamos fazer o seguinte: Você passa um dia no Inferno e um dia no Paraíso. Aí, pode escolher onde quer passar a eternidade. -"Não precisa, já resolvi. Quero ficar no Paraíso diz o senador. " -"Desculpe, mas temos as nossas regras." Assim, São Pedro o acompanha até o elevador e ele desce, desce, desce até o Inferno. A porta se abre e ele se vê no meio de um lindo campo de golfe. Ao fundo o clube onde estão todos os seus amigos e outros políticos com os quais havia trabalhado. Todos muito felizes em traje social. Ele é cumprimentado, abraçado e eles começam a falar sobre os bons tempos em que ficaram ricos às custas do povo. Jogam uma partida descontraída e depois comem lagosta e caviar. Quem também está presente é o diabo, um cara muito amigável que passa o tempo todo dançando e contando piadas. Eles se divertem tanto que, antes que ele perceba, já é hora de ir embora. Todos se despedem dele com abraços e acenam enquanto o elevador sobe. Ele sobe, sobe, sobe e porta se abre outra vez. São Pedro está esperan do por ele. Agora é a vez de visitar o Paraíso. Ele passa 24 horas junto a um grupo de almas contentes que andam de nuvem em nuvem, tocando harpas e cantando. Tudo vai muito bem e, antes que ele perceba, o dia se acaba e São Pedro retorna. -" E aí ? Você passou um dia no Inferno e um dia no Paraíso. Agora escolha a sua casa eterna." Ele pensa um minuto e responde: -"Olha, eu nunca pensei ... O Paraíso é muito bom, mas eu acho que vou ficar melhor no Inferno." Então São Pedro o leva de volta ao elevador e ele desce, desce, desce até o Inferno. A porta abre e ele se vê no meio de um enorme terreno baldio cheio de lixo. Ele vê todos os amigos com as roupas rasgadas e sujas catando o entulho e colocando em sacos pretos. O diabo vai ao seu encontro e passa o braço pelo ombro do senador. -" Não estou entendendo", - gagueja o senador - "Ontem mesmo eu estive aqui e havia um campo de golfe, um clube, lagosta, caviar, e nós dançamos e nos divertimos o tempo todo. Agora só vejo esse fim de mundo cheio de lixo e meus amigos arrasados !!!" Diabo olha pra ele, sorri ironicamente e diz: -" Ontem estávamos em campanha. Agora, já conseguimos o seu voto..."
online