14 de ago de 2008

Sim, eu ainda acredito que o mundo possa ser cor-de-rosa. (Cor-de-rosa não, na verdade não gosto de cor-de-rosa e nunca tive uma vida cor-de-rosa). Digamos que eu ainda acredite que o mundo possa ser amarelinho, como o sol e como a cor da roupinha que vestia ao sair da maternidade. Um mundo perfeito ao meu redor... É sim... eu ainda acredito que pessoas possam se aproximar de mim simplesmente pelo que sou, por ter algo de bom que as tenha trazido até mim e não para sugarem algo de mim. Eu ainda acredito que ao meu redor possam ter pessoas que me queiram bem, que sorriam comigo e para mim e que se preocupem em que tudo dê certo. Eu ainda acredito em amizade, amor e respeito entre os seres humamos. Por acreditar nestas coisas todas já sofri, chorei e me decepcionei muito. Não poucas as vezes, sou chamada de ingênua e me sinto uma boba aos meus quase 50 anos. Ainda teimo em acreditar que todo bom sentimento que eu tenha por alguém possa ser recíproco, sem me dar conta de que muitas vezes amo unilateralmente, preocupo-me unilateralmente, muitas vezes só eu ainda sou a amiga... e ainda não percebi. Só aquela pessoa ainda me é muito querida... a recíproca nem sempre é verdadeira. Apesar de tudo isso, ainda tento acreditar neste mundo e nas pessoas. Mas isto confunde a gente. Por vezes enfraquece nossos mais lindos sentimentos de reciprocidade pelo outro. Isto endurece o coração da gente. Por vezes vc percebe que após cada decepção vc passa a amar um pouco menos. Muda-se a essência, aumentam-se as defesas e armaduras, seu olhar passa a ter um "quê" de desconfiança, o tal do "pé atrás" se faz sempre presente. E as relações vão se tornando bem menos calorosas, as pessoas bem mais reservadas e fechadas em si mesmas, aprisionando-se. Mas este meu mundo amarelinho ainda existe sim. É bem pequenininho, mas nele moram outras pessoas que tb fazem sua parte para um mundo mais gostoso de se viver. Almas irmãs, que escolhem-se abraçar... os amigos de verdade, em quem posso confiar. São poucos, são bem poucos... mas existem e são o sol do meu mundo amarelinho e quase perfeitinho.

Nenhum comentário:

online