26 de jun de 2009

Adeus Michael Jackson

O cantor e compositor Michael Jackson, 50, morreu às 18h26 (horário de Brasília) desta quinta-feira (25), após sofrer uma parada cardíaca em sua casa, em Los Angeles. Segundo o jornal "Los Angeles Times", os médicos do hospital da Universidade da Califórnia confirmaram a morte do cantor, que teria chegado ao local em coma profundo. De acordo com o jornal, Jackson não estava respirando quando os paramédicos chegaram a sua residência, em Holmby Hills, por volta das 12h20 (horário local).

24 de jun de 2009

MSNs

"Sempre odiei o que a maioria das pessoas fazem com os seus MSNs. Não estou falando desta vez dos emoticons insuportáveis que transformaram a leitura em um jogo de decodificação, mas as declarações de amor, saudades, empolgação traduzidas através do nick. O espaço "nome" foi criado pela Microsoft para que você digite o nome que lhe foi dado no batismo. Assim seus amigos aparecem de forma ordenada e você não tem que ficar clicando em cima dos mesmos pra descobrir que "Vendo Abadá do Eva e Coco" é na verdade Tiago Carvalho, ou "Ainda te amo Pedro Henrique" é o MSN de Marcela Cordeiro. Mas a melhor parte da brincadeira é que normalmente o nick diz muito sobre estado de espírito e perfil da pessoa. Portanto, toda vez que você encontrar um nick desses por aí, pare para analisar que você já saberá tudo sobre a pessoa. "A-M-I-G-A-S o fim de semana foi perfeito!!!" acabou de entrar. Essa com certeza, assim como as amigas piriguetes, terminou o namoro e está encalhadona. Uma semana antes está com o nick "O fim de semana promete". Quer mostrar pro ex e pros peguetes que tem vida própria, mas a única coisa que fez no fim de semana foi encher o rabo de tequila e beijar umas bocas repetidas. O pior, é que você conhece o casal e está no meio desse "tiroteio", já que o ex dela é também conhecido seu, entra com o nick "Hoje tem mais balada!", tentando impressionar seus amigos e amigas e as novas presas de sua mira, de que sua vida está mais do que movimentada, além de tentar fazer raiva na ex. "Polly em NY" acabou de entrar. Essa com certeza quer que todos saibam que ela está em uma viagem bacana. Tanto que em breve colocará uma foto da 5ª Avenida no Orkut com a legenda "Eu em Nova York". Por que ninguém bota no Orkut foto de uma viagem feita a Caculé no São João? "Quando Deus te desenhou ele tava namorando" acabou de entrar. Essa pessoa provavelmente não tem nenhuma criatividade, gosto musical e interesse por cultura. Só ouve o que está na moda e mais toca nas paradas de sucesso. Normalmente coloca trechos como "Diga que valeuuu" ou "O Asa Arreia" na época do carnaval. "Por que a vida faz isso comigo?" acabou de entrar. Quando essa pessoa entrar bloqueie imediatamente. Está depressiva porque tomou um pé na bunda e irá te chamar pra ficar falando sobre o ex. "Maria Paula ocupada prá caralho" acabou de entrar. Se está ocupada prá caralho, por que entrou cara-pálida? Sempre que vir uma pessoa dessas entrar, puxe papo só pra resenhar; ela não vai resistir à janelinha azul piscando na telinha e vai mandar o trabalho pras cucuias. "Paulão, quero você acima de tudo" acabou de entrar. Se ama compre um apartamento e vá morar com ele. Uma dica: Mulher adora disputar com as amigas. Quanto mais você mostrar que o tal do Paulão é tudo de bom, maiores são as chances de você ter o olho furado por elas. "Marizinha no banho" acabou de entrar. Essa não consegue mais desgrudar do MSN. Até quando vai beber água troca seu nick para "Marizinha bebendo água". Ganhou do pai um laptop pra usar enquanto estiver no banheiro, mas nunca tem coragem de colocar o nick. "Marizinha matriculando o moleque na natação". "Galinha que persegue pato morre afogada" acabou de entrar. Essa ai tomou um zig e está doida pra dar uma coça na piriguete que tá dando em cima do seu ex. Quando está de bem com a vida, costuma usar outros nicks-provérbios de Dalai Lama, Lair de Souza e cia. "VENDO ingressos para a Chopada, Camarote Vivo Festival de Verão, ABADÁ DO EVA, Bonfim Light, bate-volta da vaquejada de Serrinha e LP" acabou de entrar. Essa pessoa está desesperada pra ganhar um dinheiro extra e acha que a janelinha de 200 x 115 pixels que sobe no meu computador é espaço publicitário. "Me pegue pelos cabelos, sinta meu cheiro, me jogue pelo ar, me leve pro seu banheiro..." acabou de entrar. Sempre usa um provérbio, trecho de música ou nick sedutores. Adora usar trechos de funk ou pagode com duplo sentido. Está há 6 meses sem dar um tapa na macaca e está doida prá arrumar alguém pra fazer o servicinho. "Danny Bananinha" acabou de entrar. Quer de qualquer jeito emplacar um apelido para si própria, mas todos insistem em lhe chamar de Melecão, sua alcunha de escola. Adora se comparar a celebridades gostosas, botar fotos tiradas por si mesma no espelho com os peitos saindo da blusa rosa. Quer ser famosa. Mas não chegará nem a figurante do Linha Direta. "

22 de jun de 2009


Cálculo de Louco ou de Gênio???


Faça o cálculo!!! E veja se consegue explicar!


Utilize a calculadora porque não tem como fazer de cabeça...

1 - Digite os 4 primeiros numeros de seu telefone (não vale número de celular);
2 - multiplique por 80.
3 - some 1.
4 - multiplique por 250.
5 - some com os 4 últimos números do mesmo telefone.
6 - some com os 4 últimos números do mesmo telefone de novo.
7 - diminua 250.
8 - divida por 2.
Reconhece o resultado???????

É O NÚMERO COMPLETO DE SEU TELEFONE

18 de jun de 2009

O que o trabalho inspira

Em 1880 a princesa Isabel assinou um famigerado documento que decretava o fim da escravidão no Brasil. E assim, por um documento, sem mais nem mais, foi abolida a instituição que durante séculos forneceu mão-de-obra para tocar uma colônia que hoje tem sua soberania e chamamos de país. Das milhares de indagações a respeito desse processo e de suas conseqüência nesse minuto me instiga como conseguir uma percepção positivada do trabalho. Como não relega-lo às pessoas que não têm liberdade e/ou escolha? Como não tornar o trabalho uma ação pejorativa? Para os brasileiros a resposta a esta pergunta é tão simples que chega a ser despropositado se indagar. A resposta é FINGIR QUE TRABALHA. Os índices de desemprego, o afrouxamento das leis trabalhistas, as pressões mundial para adoção de medidas neo-liberais, tudo o mais é nada frente ao poder debochado do brasileiro de lidar com situações adversas. Conheço muitas pessoas que não tem emprego fixo, várias que têm a carteira de trabalho virgem, e até quem nem se dê ao trabalho de ir tirar uma carteira de trabalho. Mas o maior número de pessoas que percebo são as que, com ou sem carteira assinada, fingem que trabalham. Pode parecer loucura minha, mas eu olho para as pessoas e fico imaginando que atividade produtiva elas desenvolvem. Olho pra um vizinho de terno e gravata, mais cheiroso que besouro da Amazônia, cabelo bem cortado, num sapato tão bem conservado que parece até que o dono anda de cadeira de rodas, e vem logo o enigma: o que ele faz? Simples! O cotidiano é o seguinte: chega no escritório as 9:00h e toma um café conversando com o pessoal até as 10h. Parte então para seu computador e começa a burocracia. Abre a agenda e dá logo três telefonemas. O primeiro pra mãe, o segundo pra esposa ou peguete e o terceiro pra um amigo. Sendo casado telefona pro amigo pra reclamar, sendo solteiro pra aprontar. Vocês pensam que a hora não passa, mas já avançamos para as 11h, e o sujeito ta atarefado. Entra com a senha no computador, baixa os e-mails e toca a apagar as propagandas, ver os slides de power point ou com conteúdo de moral edificante ou pornográfico, repassa as piadas e slides mais ou menos e eis que já são 12h. Desce em bando pra almoçar, passa em lojas pra comprar qualquer coisa inútil que lhe dê consolo por um dia-a-dia tão stressante e volta para o escritório 13:20h. Mais café, com mais bate-papo, até que 14h não tem jeito, tem que voltar pro computador. Navega na internet das 14h às 17h. Toma mais um café, até que chega do nada a emergência de fazer um relatório. Ele só tem até às 18h para relatar as atividades do dia, tudo pra uma reunião no dia seguinte. E faz! São quatro laudas no Word, fonte tamanho 20, espaçamento duplo. Era até mais fácil fazer em power point. Mas enfim, já deu a hora de voltar pra casa. Chega de trabalho por hoje, o sujeito já está exausto. Tal e qual estaria qualquer outra pessoa ainda que não fizesse nada. E quando vislumbro uma vizinha, tailler de cor mórbita, cabelo tão aprumado como uma peruca Lady, com aquele cacharrel terrível que o cheiro muito faz lembrar a penteadeira de uma meretriz , meia-calça kendall na cor da pele (da pele da Pina, porque dá logo pinta que a ridícula tá de meia, tamanho o contraste da cor das pernas com as mãos), uma base no rosto mais grossa que a máscara de Jason, as unhas disputando destaque com as do Zé do caixão, e fechando o modelito um scarpin básico e uma bolsa de couro com fivelas banhadas a ouro da Lui Vitton (camelôs e ciganos conseguem uma réplica que andando rapidinho nem especialista distingue, e La garantia soy yo!). O que ela faz? Que profissão exerce? É amiga de escritório do sujeito já mencionado. O que supõe que o dia-a-dia deles é bem parecido. A diferença é que enquanto ele navega ela faz os slides de power point que circulam na internet, e as correntes católicas. Divulgarei aqui, em primeira mão, os sites indispensáveis para as pessoas que “trabalham”: Google: Aqui é o começo e o fim. É aqui que ele rouba textos para introduzir nos bonitos relatórios. Aqui também, ele e ela, pesquisam bons preços de agencias de viagens, para ir programando o que vão fazer nas férias, nos feriados prolongados e tudo o mais. Orkut: Alguém vive sem socializar? Então, o sujeito que trabalha tem o direito e dever de estar a par de tudo o que acontece com as pessoas que o rodeia. Fiscalização branda no profile da namorada, ou esposa, para não parecer ciumento e neurótico. Fiscalização moderada nas ex, como um tratamento, pois ele jura que aos poucos vai esquecer ela e parar com esse vício de querer saber o que se passa. E fiscalização intensa nas possíveis, sempre atirando pra tudo quanto que é lado, pois como diz meu sábio e filósofo amigo: se eu não “panhar” vem outro e “panha”. As mulheres visitam praticamente os mesmos profiles, só que em relação aos namorados e/ou maridos, pois tá louca de saber como ele reage a tudo isso. Enfim, o orkut é o inferno na terra. Climatempo: Como é que a pessoa vive sem saber se está sol ou chuva, calor ou frio. Dentro do escritório a temperatura é permanente em cerca de 19º, mas a criatura não vive sem saber como está o tempo lá fora. Além do mais, da pra fazer também aquela análise para o final de semana, feriado, e ver se fica melhor ir à praia ou serra. Fliperama: pra jogar e/ou baixar alguns games, pois ninguém é de ferro, tem horas que é preciso descontrair. Horóscopo Virtual, GuruWeb, TerraEsotérico: porque ninguém acredita em horóscopo, tanto quanto nem duvida. Pelo sim, pelo não, não tenho muito mais o que fazer, é melhor dar uma conferida. De repente até um tarô on line. O casamento entre signos. GloboEsporte: para acompanhar os resultados da rodada, o estadual, o Brasileirão, a Copa América, a Libertadores, o Mundial, e sobretudo a escalação de times deveras importantes. Sem falar no grid de largada da F1 e o campeonato estadual de basquete. Só com um conteúdo tão denso é que o sujeito está apto a tomar um cafezinho e confraternizar sem se sentir diminuído por falta de assuntos. O Fuxico: É de extrema relevância saber dos novos affairs da Preta Gil, do mais recente namorado da Galisteu ou Cicarelli, e enfim, essas informações que precisam ser acompanhadas semana a semana, quando não diariamente. O mundo tá rodando e a mulher só lá trabalhando? Não, não mesmo, é preciso uma Dirce para colocá-la ciente do resumo das novelas, da vida dos artistas, celebridades e quem mais coloque o traseiro à mostra. O globo: esta página é tudo. É o que há. É quase como um protetor de tela. Varam janelas ao pé da tela, msn piscando, oito profiles e quatro comunidades do orkut, mas se o chefe passar de uma hora pra outra irá se debater logo com uma página cheia de informações, fundamentais ao bom desenvolvimento do trabalho diário. Enfim, é dura a vida de um trabalhador. O dia inteiro nesse ambiente insalubre, trabalhando oito horas e as vezes tendo que fazer hora extra, tanta informação, isso acaba com o ser humano. É uma vida árdua, mas alguém tem que fazer. Só mesmo com essa ação inteligente de desobediência profissional, pois já que o patrão finge que nos paga, nós fingimos que trabalhamos. Destorcendo o que foi a estratégia de Gandih é que estão os brasileiros nos escritórios. Pode parecer tolo, mas um processo como este demora uns 200 anos para se consolidar. Agora, se você trabalha e tem mais de dois desses links que apontei em seus favoritos, vamos admitir: você também finge que trabalha!

As verdades que o vento leva

Eu sempre digo, ninguém mente sozinho. Pra mentir é preciso no mínimo duas pessoas, uma pra mentir e outra pra acreditar. A cada dia estou mais convicta de que as pessoas não têm pudor de mentir. Há quem acredite que mulher minta mais que homem. Mentira! Mulher faz atuações realmente mais sofisticadas, porém mentir por mentir não há como reduzir o feito dos homens. Ou seja, a mentira, em termos quantitativos, não pode ser avaliada por gênero. Eu estava no onibus, ouvindo a conversa alheia. Até aí, tudo sem novidade. Atrás de mim três mulheres me entretiam com sua conversa. E o assunto, tenho até vergonha de dizer (mentira!), era sexo. Começou com uma dizendo que a primeira vez que fez sexo foi na lua-de-mel. Com essa declaração minhas orelhas ficaram mais em riste do que o membro do noivo. Se a conversa começava com uma mentira destas, daí por diante eu poderia morrer, mas minhas orelhas haveriam de continuar vivas para registrar tudo. Então, a conversa estava apenas começando. Ainda tinha uns dez minutos de transito para a mentira rolar solta. E assim foi! A cada declaração uma das amigas duvidava e dava um testemunho mais incrível. Assim, em resposta à primeira vez na lua-de-mel uma das amigas disse ter namorado seis anos e o namorado respeitando a decisão dela. Namorados, por favor, se manifestem. Se meu namorado me respeitasse tanto eu abandonava ele! Vai respeitar assim a puta que o pariu. O que me deixava mais envergonhada era a desenvoltura das três em conversar tão abertamente sobre sexo, algo mais esperado de pessoas com posturas supostamente modernas, enaltecendo um “orgulho” tão retrógrado, um discurso tão tradicionalista. Tinha horas que eu não entendia nada, aquilo dava nó na minha cabeça. Ora essa, quem me mandou gostar tanto de ouvir a conversa alheia! Deixando o exemplo das mentiras das moças, vejamos uma conversa de rapazes. Eu estava na sala de espera duma assistência técnica para celulares. O número da minha senha me convidava para a eternidade. Uma pressão me subia à cabeça, quase estourando de ódio, quando uns caras começaram a conversar. Coloquei logo fones nos ouvidos pra ouvir a conversa sem constrangimentos de parecer que estou mesmo prestando atenção neles. Começaram falando de aparelhos celulares. Era só juntar três letras, quatro números, e a maioria deles já tiveram esse tal aparelho que duvido muito até que já tenha existido. Era fazer um scan, dos pés a cabeça, em cada qual e duvido que um só deles se vestisse com mais de R$25,00. Traje calça surrada, pochete no ombro, camisa fuleira e um ou outro de boné. A conversa dos caras estava animada. Diferente das mulheres, um nunca duvidava do outro. Dizia que era verdade, e dava um exemplo que superasse o amigo. Um sacou da cintura um celular antigo, disse que já tinha caído muito, já tinha molhado na praia, o visor era rachado, mas funcionava perfeitamente. Todos acharam o máximo e concordaram que bom eram os celulares antigos. Não satisfeito, um sujeito que palitava os dentes (ninguém me disse, eu vi isso!) se coçou, tirou um celular do bolso, abriu o celular e o corpo com a bateria ficou numa mão, o flip na outra. Ele mostrou orgulhoso dizendo: esse aqui funciona perfeitamente, cabe qualquer chip, dá pra usar como rádio, e ainda recebe fax. Bastou pra ser o rei do pedaço. Depois do celular Lego ninguém mais quis falar sobre o assunto. Era melhor partir pra outra conversa. Tinha um jornal jogado numa mesinha, e estampado na primeira página a foto do Romário. Um deles olhou e disse: o Romário vai virar presidente do Vasco. Todo mundo concordou! Era preciso uma pauta mais polêmica pra reanimar o pessoal. Chegou um motoboy. Ele sentou do lado de um sujeito e pra quebrar o silêncio disse que tinha sido assaltado. O do palito na boca, que tinha uma voz bem rouca, perguntou o que ele perdeu. O boy disse que perdeu uma moto. Onde? No Centro. Meu irmão, naquela área é foda mesmo. Todo mundo concordou. Aí começou papo violência. Tudo o que se falava parecia cena de filme. Mas era realidade, porque num filme nunca vi tanta bala voando. Era tanto tiro que vez por outra eu me esquivava no reflexo, com medo de uma bala resvalar e me acertar. O cara do palito na boca parecia impávido, sem achar aquele tiroteio, aquelas histórias bélicas, nada demais. Ele esperou o tiroteio dar uma pausa e disse que estava chegando em casa, quando a rota cismou de subir o morro, até que um cara, ele disse um cara e ainda descreveu o sujeito como magro e baixinho, plantou de frente com uma M2 fazendo a rota recuar. Todos impressionados, e um desavisado exaltou que era preciso força. Ao que o do palito na boca arregalou os olhos e quase desequilibrando o palito disse: força nada, tem que ter é disposição! Juntando os narizes dos caras dessa sala de espera acho que conseguiríamos um monumento maior que a muralha da China. Acredito em tudo o que me dizem. Aliás, eu acredito até no que dizem para os outros. Por exemplo, eu acredito que o Ronaldinho achou que Andréia era mulher. Acredito que, como ele disse, nunca usou drogas e que é inteiramente heterossexual. Diga-se de passagem quando ele fala na categoria inteiramente heterossexual me faz ao menos intuir que compreende uma categoria parcialmente heterossexual, que por seu turno pode ser equivalente a parcialmente homossexual. E não acredito só no Ronaldinho. Acredito que Carolina Jatobá e Alexandre Nardone são tão inocentes quanto se defendem, e culpados quanto os acusam. De minha parte fecho o post assumindo que nunca conto uma mentira. Até invento umas verdades. Algumas bem temporárias, outras mais duradouras. Mas mentira eu não conto. E você, já ouviu alguma mentira, digna de ser partilhada? No que você credita?

Pobreza em vários atos

Estive uma temporada afastada, forçosamente, da internet. Nesses dias de abstinência pensei num milhão de coisas para escrever. Aliás, cheguei a fazer a composição das idéias para meu marido. Ele riu um bocado. Mas pra ser sincera, olhando pra minha cara raramente alguém não ri. Então as vezes chego a achar que pouco importa o que eu tenho pra dizer, pois importante mesmo é como eu digo. Agora, escrever é outra coisa! Mas mesmo perdendo um tanto o efeito em comparação com minha atuação oral, insisto em escrever. O tema do meu discurso era o sabor e o dissabor de ser pobre. Certamente eu não conheço muitas pessoas ricas. Se é que as conheço. Enfim, a pobreza nos rodeia, nos entranha, nos consome. O pobre é o elemento essencial da modernidade. O pobre é a engrenagem do capitalismo. Já pararam pra calcular quantos miseráveis são precisos para fazer um só rico? Muitos! Observando as coisas ao nosso redor é que eu noto como pobre é predado pelas artimanhas do sistema. E o mais expressivo dessa relação é que não morre, só se prolifera. As estratégias de dizimar os pobres são inúmeras e diversas. A primeira estratégia é na alimentação. Todos os produtos com prazo de validade vencendo são ofertados aos pobres. E os pobres compram. Biscoitos, barras de cereal, enlatados, laticínios, tudo tão apto ao lixo quanto ao consumo do pobre. Carne que está em acelerado processo de deterioração, já duvidosa, é temperada e vendida em temperatura ambiente a preço de custo. Pobre compra. E não só compra como promove churrasco. Ninguém tá aqui querendo morrer sozinho! Aliás, uma modalidade interessante de extermínio coletivo são as quermesses. Aquela pujança, aquela fartura, é uma alegria que só Deus e pobre sabe como dói. Quem nunca ouviu falar na maionese que intoxica dezenas? Só que, quando muito, mata um ou dois. Fracos! Se morre por conta de uma maionese realmente não tinha vocação pra ser pobre. E o que dizer das bebidas? A água mineral custa R$1,00 enquanto um Guaravita R$0,50. Preciso perguntar o que o pobre bebe? Um líquido que custa mais barato do que água não pode ser de Deus! Eu tenho medo de Guaravita. Não sei de que poço sai a água que ele é fabricado. Se o problema fosse apenas a procedência da água eu ficaria até tranqüila. E a composição química? Aquilo tem estimulante, acidulante, é um repositor energético. Aí o sujeito que tem “pôbrema de pressão alta”, desavisadamente, toma o guaravita e se sente melhor. Muito bem disposto. Até porquê, mesmo pra morrer tem que ter disposição. E o que dizer da infinidade de bebidas com o prefixo ou sufixo COLA!? Para cada mercado há um refrigerante de cola. E pobre valoriza como ninguém a indústria nacional. Aliás, a distrital, a circunvizinha, basta engarrafar! Acima de tudo e qualquer coisa o pobre é um aventureiro, um guerreiro, um herói. Qualquer coisa simples do cotidiano para o pobre é uma missão que faz Bruce Willis, Schwarzenegger, Tom Cruiser ou Stallone parecerem fichinha. Um cidadão comum se locomove para o trabalho por carro, trem, metrô, ônibus ou barca. Sem emoção! Pobre ou vai de van, ou vai de mototaxi. Simples assim. Se alguém conhece uma modalidade de extermínio de pobre mais eficiente do que van, favor, me informe. Van não tem erro, é bateu fudeu. Ou mata geral, ou fode geral. Claro, morrer é preferível na maioria dos casos. Pessoalmente eu penso que as vans não deveriam ter na frente o nome de um bairro, mas o slogan que esclarecesse ao que veio (ou mais exatamente pra onde que vai), do tipo: céu, inferno, paraíso. Algo mais objetivo e sincero. Você pode tentar advertir dos perigos das vans, mas todo pobre irá defendê-la dizendo que é rapidinho. Concordo! É o meio mais rápido da vida pra morte, sem escala. Uma conhecida minha pegou uma pneumonia andando de van. Eu perguntei como. Ela disse que sai de casa as cinco da manhã, e a janela da van que ela pega é quebrada. Visualiza! Imagina essa brisa das cinco, excelente para os pulmões, porrando a cara da pessoa num percurso de no mínimo 40 minutos. É gostoso demais. Aliás, deveria até ser indicado como massagem facial. Gente, viver não é fácil, não é uma brincadeira. Eu gostaria de ser feia e pobre só por um dia na minha vida, pois todos os dias já está me cansando.

TUDO TEM LIMITE!

Qual é o ponto exato de ruptura, da capacidade humana de perdoar. É possível imaginar-se que o perdão tem limite? Afinal, se é um valor transcendente às mazelas praticadas pelo comportamento dos homens, então teoricamente, o perdão não tem limites. Assim como, não é possível uma mulher estar, mais ou menos grávida, ou alguém ter mais ou menos caráter ou ser relativamente, honesto, da mesma forma perdão, é perdão. ou não é? Todas as religiões, doutrinas e credos pregam o amor e o perdão. Entre os católicos, por exemplo, já na tenra idade, o rebento é batizado, crismado e faz primeira comunhão. Com esta blindagem do bem, ninguém poderia dizer que ignorava o valor do perdão, para jogá-lo embaixo do tapete. Entre os pentecostais renovacionistas em geral, os princípios sobre o perdão, são os mesmos, com pequenas modificações nas formas de administrá-los. Os hindus, por exemplo, não perdoam que um cidadão passe de uma casta para outra, os católicos que o diabo desça no seu pedaço, os budistas que falem mal do jovem Guatama e que se tornou o fundador da religião, no islamismo àquele que não faça uma peregrinação à Meca, pelo ao menos uma vez por ano, os mórmons muito ativos, incansavelmente, trabalhadores não perdoam os baianos, e os judeus não perdoam dívida nenhuma! Exagero? Talvez! Esta evidente demonstração dos imponderáveis sacrifícios, para o cumprimento dos princípios que norteiam o perdão, pode ser retratada nesta passagem, que transcreve um diálogo, ocorrido no interior de Minas gerais. -Bom dia senhor pastor-prefeito. -Bom dia Altamiranda. Como vai o seu marido? -Bem, senhor prefeito, como o Senhor sabe, além de votarmos no senhor, ser da sua igreja, e muito admirarmos seus encantadores estudos da “palavra”, o meu marido ainda o admira muito por torcerem pelo mesmo time, aqui de Varginha.Não é porque o senho é prefeito, mas o Sr,é um prefeito perfeito! -Para honra e gloria, irmã. E a sua filha? -Nem lhe conto... -Está doente? -Pior. Fugiu com o filho do seu Beto, dono da birosca. -Não sabia... -Pois é pastor-prefeito, estou querendo matá-la. Desculpe a heresia!Desgraçada! -Irmã, tenha calma e piedade. Foi um momento de fraqueza. É perdoando que somos perdoados... -E está grávida. -Irmã: crescei e multiplicai! Afinal, não podemos ser tão intolerantes, assim! O erro é a porta de entrada da sabedoria, para aprendermos o caminho certo das coisas, numa próxima situação. -Desculpe prefeito-pastor, mais o meu ódio é muito grande! Mato aquela vagabunda. E ele, o safado aproveitador,ainda por cima, está desempregado... -E quem não está atualmente? Vivemos momentos de singulares sacrifícios! -Roubou o carro do meu marido, para fugir com ela. -Outro lhe será acrescentado, tenha fé e fique calma! -Ainda por cima, o bandido fuma maconha e viciou minha filha. -Desagradável. Mas o perdão é o exercício vivo da generosidade.Você tudo pode Naquele que lhe fortalece... -É linda esta passagem, Senhor pastor-prefeito... -Só o perdão evita mau hálito, acidez estomacal, câncer no colo do útero... -É verdade! -Fora do perdão, não há salvação, irmã. Pense quantas pessoas estão neste momento em situação mais degradante, triste e dolorosa do que a sua. Cada um com a parte da cruz que merece. -O senhor pastor-prefeito sabe consolar. E a Soninha, sua filha? -Oh, irmã uma benção. Já me deu o neto que tanto esperava. Uma benção irmã. Lindo, sadio e parecido com o vovô (risos). Apesar de não sabermos quem o pai, mesmo assim a perdoei. -Sr. pastor prefeito, posso lhe confidenciar uma coisa? -Ora, Altamiranda, fique a vontade. -Eu sempre soube da verdade... -Que verdade, irmã? - De quem “fez mal” à sua filha e não assumiu. Sempre tive muito medo de contar-lhe.Se eu soubesse que o perdoaria já tinha tirado este peso das minhas costas -Não acredito que a irmã, tenha escondido do seu prefeito- pastor coisa tão séria. -Se eu soubesse que o Sr. era tão generoso assim, a ponto de perdoar, como está, insistentemente, me pedindo, eu já teria dito antes. Eu tinha muito medo que o Sr. mandasse castigá-lo ou coisa pior. Afinal, é o nosso prefeito-pastor, é poderoso, tem muitos amigos, ninguém lhe negaria nenhum favor, nenhum pistoleiro destas bandas ousaria negar-lhe um pedido de matança. -Diga Altamiranda. Creia que serei ponderado, seja o que favor, creia... -Sr. Pastor-prefeito foi justamente este infeliz desempregado, maconheiro e safado, que fugiu com a minha filha grávida... -O quê! Não acredito! Não é possível! Altamiranda, mando colocar você no "pau de arara",não minta para o seu pastor - prefeito. Eu lhe dou uma porrada! A minha pressão fica descontrolada,Altamiranda, e depois que eu perco as estribeiras, nem o satã me segura! -É verdade, infelizmente esta é a triste verdade. Só tive coragem de falar, pois está tão feliz com sua filha, que acabou de lhe dar o netinho, que tanto queria, para honra e graça do... -Do cassete,Atamiranda! Honra e graça do cassete. Canalha! Eu mato este fdp, ordinário, pústula. Vou saber onde está e mandar cortar aquele pau endomoniado, desgraçado... -Não faça isso, prefeito-pastor! Pode ser até endemoninhado, mas agora é da minha filha. Se o Sr. mandar cortar, depois não pode nem pensar em voltar mais atrás. -Eu voltar atrás, não Altamiranda, ele é que vai passar a dar atrás, filho da... -Prefeito-pastor, perdoa... -Perdoar é o c... E depois de mandar cortar aquele troço, vou pedir ao Tião Manjuba para estuprar ele e jogá-lo no rio das piranhas - finalizou colérico, e com Altamiranda, debatendo-se nos seus braços, horrorizada de medo e pedindo perdão à sua filha, como que tentando exorcizar aquela confissão, por todas as terríveis conseqüências que adviriam, principalmente pela ameaça da perda irreparável daquele membro endemoninhado, que parecia já ter sido dela, também. Que inferno!Mais do que nunca Altamiranda, lembrou sua avó que lhe dizia:-Perdoar é fácil,mas quando não é o nosso que está ardendo!

televisão

Joguei-me no sofá esparramando-me mais do que cachorro quando lhe coçam a barriga. Pego minha bebidinha preferida. Pouco gelo. Muita vontade de atualizar-me através da cobertura jornalística das nossas tvs. Nesta sociedade do corre –corre a informação e os conhecimentos são essenciais. A competição desenfreada não perdoa os desatualizados. No primeiro canal sintonizado uma noticia incrível, pois o apresentador afirma que no interior do Brasil, a febre amarela reaparece. Agora, também é azul, verde, carmim e rosa –choque. Pensei com meu umbigo:- Então, é febre gay! Uma onda de pessimismo entre os moradores locais é mostrada.Vários doentes dão entrevistas.Numas delas ouve-se uma voz que ainda previne: -Deocleciano, esconde este pinico em baixo da cama, homi. Os moços da televisão vão mostrar a gente lá Em Sun Paulo, no Rio nas minas gerais... Inacreditável. Ainda existem certas doenças seculares, neste país. Indignado mudo de canal. Agora a reportagem é sobre a gripe do frango, patos e codornas na Malásia, Paquistão, Indonésia e Costa do Marfim. Nas ruas toneladas de galináceos empilhados para serem enterrados. Uma cena forte. E como é que, sem uma galinha sequer – a não ser as profissionais - aquela gente doente vai tomar a milagrosa canja da vovó? Quantos galetos, sempre degustados com batatas fritas, arroz, farofa e molho à campanha, desperdiçados. Lá se vão, também os patos ao Tucupi.Uma lástima! Mas, ainda está muito longe. Não chega por aqui.Fiz figa e coloquei noutro canal, no qual duas apresentadoras muito nervosas admitiam que a gripe suína chegou ao México e Estados Unidos. Bem aí começa a ficar mais perto. Comecei a ter acessos de tosse. Sou muito impressionável. Na tela, a imagem de um porco espirrando cercado de veterinários com roupa de astronauta e anotando tudo.Rigoroso controle laboratorial. Por mera precaução, passo um pano com álcool no vídeo da televisão e ponho um lenço no nariz, no melhor estilo cauwboy americano. Meu cachorro estranhando aquela palhaçada pulou no meu rosto e arrancou aquela droga.Vou procurar melhores notícias: -E atenção, senhoras e senhores a Organização Mundial de saúde acaba de divulgar algumas novas doenças que estão tomando conta da humanidade e que vinham sendo pesquisadas em sigilo por cientistas do laboratório de propulsão atômica do Timor Leste e só agora divulgadas. Pedimos que não se impressionem, pois ainda estão em estudos.São elas: - Deslocamento irreversível do clitóris, cuja causa, deve-se ao manuseio incorreto, por gente que decididamente, não é do ramo.Sete casos constatados em Portugal. -Congelamento humano voluntário - Doença que ataca especificamente, aos homens cariocas e, cuja causa, deve-se a decisão da companheira em pedir-lhes para que escolham dormir, com elas ou, na geladeira junto com as suas amadas e insubstituíveis latinhas de cerveja. A segunda opção tem sido sempre a mais freqüente. Já é uma epidemia! 500 casos no Rio de Janeiro. A tendência é de epidemia. -Sarna de finais de semana – Acometem aos homens que ficam três dias ou mais sem tomar banho ou mudar de pijama. Vinte mil casos na Bahia. Além destes desastres orgânicos, comunicava a locutora que uma série de virulentas doenças vindas de Brasília, ameaçam dizimar nossa gente e já tinham sido identificadas às bactérias e a principal, considerada uma verdadeira praga endêmica. -Adenovirus Corruptos Cyto Megalomaniacus – Provoca a chamada Gripe dos Grandes Ratos ou Influenza Política - Não tem tratamento farmacêutico. Opção: Isolamento. Um milhão e meio de casos. De saco cheio, mudei novamente de canal e aí, então, vi a maior concentração de vírus, bactérias, fungos, ricketzias e salmonelas por metro quadrado do planeta, tanto que comecei a me beliscar para ver se ainda encontrava-me vivo, pois, estavam transmitindo uma seção do Congresso Nacional. Coloquei a máscara!

Cubo Mágico

O cubo mágico é um quebra-cabeça tridimensional, inventado pelo húngaro, Erno Rubik. Geralmente confeccionado em plástico e possui várias versões, sendo a versão 3×3x3 a mais comum, composta por 54 faces e 6 cores diferentes, com arestas de aproximadamente 5,5 cm. Outras versões menos conhecidas são a 2×2x2, 4×4x4 e a 5×5x5. É considerado um dos brinquedos mais populares do mundo, atingindo um total de 900 milhões de unidades vendidas. Agora que você já sabe um pouco da história do cubo mágico aprenda como resolver o cubo mágico! Fácil né?

Cuidado quando for a Portugal

Lembrando também que a região GLÚTEA (bunda) lá chama-se CU. Assim, quando a mãe diz que vai aplicar uma injeção na nádega do rapaz diz ‘ vou aplicar uma pica no cu do puto‘ e se for uma palmada numa criança fala ‘ meto-te cinco dedos no cu, canalha‘

Mãe, vou casar.

- Mãe, vou casar. - Jura, meu filho?! Fico tão feliz! Quem é a moça? - Não é moça. Vou casar com um moço. O nome dele? Murilo. - Você falou Murilo... ou foi meu cérebro que sofreu um pequeno surto psicótico? - Eu falei Murilo. Por que, mãe? Tá acontecendo alguma coisa? - Nada, não... Só minha visão que está um pouco turva. E meu coração, que talvez deu uma parada. No mais, tá tudo ótimo. - Se você tiver algum problema em relação a isto, melhor falar logo.... - Problema? Problema nenhum. Só pensei que algum dia ia ter uma nora...Ou isso... - Você vai ter uma nora. Só que uma nora... meio macho. Ou um genro meio fêmea. Resumindo: uma nora quase macho, tendendo a um genro quase fêmea... - E quando eu vou conhecer o meu... a minha... o Murilo? - Pode chamar ele de Biscoito. É o apelido. - Tá! Biscoito... Já gostei dele. Alguém com esse apelido só pode ser uma pessoa bacana. Quando o Biscoito vem aqui? - Por que? - Por nada. Só pra eu poder desacordar seu pai com antecedência. - Você acha que o papai não vai aceitar? - Claro que vai aceitar! Lógico que vai. Só não sei... se ele vai sobreviver... Mas isso também é uma bobagem. Ele morre sabendo que você achou sua cara-metade. E olha que espetáculo: as duas metades com bigode... - Mãe, que besteira... hoje em dia... praticamente todos os meus amigos são gays. - Só espero que tenha sobrado algum que não seja... pra poder apresentar pra tua irmã. - A Bel já tá namorando. - A Bel? Namorando?! Ela não me falou nada... Quem?? - Uma tal de Veruska. - Como? - Veruska... - Ah!, bom! Que susto! Pensei que você tivesse falado Veruska. - Mãe!!!... - Tá..., tá..., tudo bem...Se vocês são felizes. Só fico triste porque não vou ter um neto... - Por que não? Eu e o Biscoito queremos dois filhos. Eu vou doar os espermatozóides. E a ex-namorada do Biscoito vai doar os óvulos. - Ex-namorada? O Biscoito tem ex-namorada? - Quando ele era hetero. A Veruska. - Que Veruska? - Namorada da Bel... - 'Perai'. A ex-namorada do teu atual namorado...? a atual namorada da tua irmã... que é minha filha também... que se chama Bel? Isso? Porque eu me perdi um pouco... - É isso. Pois é... a Veruska doou os óvulos. E nós vamos alugar um útero. - De quem? - Da Bel. - Mas... logo da Bel?! Quer dizer então... que a Bel vai gerar um filho teu e do Biscoito. Com o teu espermatozóide e com o óvulo da namorada dela, que é a Veruska?!?... - Isso. - Essa criança, de uma certa forma, vai ser tua filha, filha do Biscoito, filha da Veruska e filha da Bel. - Em termos... - A criança vai ter duas mães : você e o Biscoito. E dois pais: a Veruska e a Bel. - Por ai... - Por outro lado, a Bel...,além de mãe, e tia... ou tio... porque é tua irmã. - Exato. E ano que vem vamos ter um segundo filho. Aí o Biscoito é que entra com o espermatozóide. Que dessa vez vai ser gerado no ventre da Veruska...Com o óvulo da Bel. A gente só vai trocar. - Só trocar, né? Agora o óvulo vai ser da Bel. E o ventre da Veruska.. - Exato! - Agora eu entendi! Agora eu realmente entendi... - Entendeu o que? - Entendi que é uma espécie de swing dos tempos modernos! - Que swing, mãe?!!... - É swing, sim! Uma troca de casais... com os óvulos e os espermatozóides, uma hora no útero de uma, outra hora no útero de outra.... - Mas... - Mas uns tomates! Isso e um bacanal de ultima geração! E pior... com incesto no meio. - A Bel e a Veruska só vão ajudar na concepção do nosso filho, só isso... - Sei!!!... E quando elas quiserem ter filhos... - Nós ajudamos. - Quer saber? No final das contas não entendi mais nada. Não entendi quem vai ser mãe de quem, quem vai ser pai de quem, de quem vai ser o útero, o espermatozóide... A única coisa que eu entendi? É que... - Que...? - Fazer árvore genealógica daqui pra frente vai ser uma MEEERRRDAAA....

5 de jun de 2009

Mal raro

Um sujeito sofria de um mal raro. Toda noite, por muitos anos, durante o sono, ele ouvia uma voz misteriosa que lhe perguntava: - Fez…xixi ? Imediatamente ele se urinava. Era o maior drama, amanhecia todo molhado, sua vida era um inferno. Tinha que usar fralda geriátrica, e não podia dormir acompanhado, na verdade foi criando um verdadeiro pavor de dormir. Até que um dia, decidiu procurar um especialista que, após ouvir o seu caso, lhe disse: - Olha, o seu problema é psicológico. Mas é possível curar, criando um mecanismo de defesa em seu cérebro. Toda noite, antes de dormir, envie uma mensagem para o seu cérebro. Assim que eu ouvir a voz perguntando se você fez xixi, você responderá: “Fiz, sim! Já urinei antes de deitar! Está tudo bem”. O cara saiu do consultório todo contente. Passou o resto do dia exercitando o que o médico lhe ensinou. Antes de deitar, “envia a mensagem para o cérebro” e adormece tranqüilamente. No meio da noite, a voz misteriosa lhe perguntou: - Fez… xixi? O seu subconsciente, previamente preparado, respondeu que sim, que tinha urinado antes de deitar e estava tudo bem… Ele, finalmente, conseguiu segurar a urina. Então, a voz retrucou: - E cocô?

CLASSIFICAÇÃO DOS RELACIONAMENTOS SEGUNDO BILL GATES

Os relacionamentos tambem podem ser classificados, assim como os softwares… !!! FICANTE —> Versão Alpha NAMORADA —> Versão Beta NOIVA —> Versão Trial ESPOSA —> Versão Registrada AMANTE —> Versão Crackeada SOGRA —> Vírus Trojan Horse (Ferra com você)

Joãozinho

A professora estava perguntando para a turma o que cada uma das crianças mais gostava: - Ritinha, do você mais gosta? - Das flores, professora, respondeu Ritinha. - Que gracinha! - E você, Diego? - Do aroma das lindas manhãs da primavera, professora (Futuro boiola, a professora pensou). - E você, Mariazinha? - Do céu, professora. - Que maravilha… E você, Joãozinho? - Ah, professora, eu gosto é de buceta! - O QUÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ??? - É, professora. Eu gosto mesmo é de buceta! Buceta, buceta, buceta, buceta! Adoro!!! - Seu sem-vergonha! Vem cá! A professora pegou o Joãozinho pela orelha e foi arrastando o moleque até a sala da diretora: - Imagine só, eu estava fazendo uma brincadeira com as crianças na sala perguntando do que elas mais gostavam e esse menino vem e me diz que gosta de buceta! - Como é que é, Joãozinho? - É diretora, eu gosto é de buceta! Cabeluda, raspadinha, de todo o tipo… - SEU MAL-EDUCADO!!! Vou já chamar o seu pai! E chamou o pai do Joãozinho na escola. O homem chegou lá apavorado, querendo saber o que tinha acontecido com o filho. A diretora disse: - Imagine o senhor que a professora estava fazendo uma brincadeira com as crianças, perguntando do que elas mais gostavam e o seu filho me responde que gosta de buceta! - Ah, é isso? Liga não, diretora… guri novo… nunca comeu um cuzinho.

A revanche da loira

Uma loira e um matemático estão sentados lado a lado num vôo de São Paulo para Belém. O matemático pergunta se ela não quer participar de um joguinho interessante. A loira, muito cansada, diz que só quer dar um cochilo, agradece educadamente e se vira para a janela na intenção de tirar uma soneca. O matemático insiste e diz que o joguinho é fácil e muito divertido. Ele explica: - Eu faço uma pergunta e, se você não souber a resposta, me paga R$ 5,00; e vice-versa. Novamente ela reclina a cabeça e tenta dormir um pouquinho. Mas, o chato insiste: - Se você não souber a resposta me paga R$ 5,00 e se eu não souber a resposta, te pago R$ 500,00. Isso chamou a atenção da loira, que, pensando que esse tormento não terminaria enquanto ela não participasse da brincadeira, decidiu concordar. O matemático fez a 1ª pergunta: - Qual a distância exata entre a terra e a lua? A loira não disse uma palavra, abriu a bolsa, pegou uma nota de R$ 5,00 e entregou ao matemático. - Ok.. é a sua vez - disse ele, sorridente. A loira então pergunta: - O que é que sobe a montanha com três pernas e desce com quatro pernas? O matemático, desconcertado, pega o seu laptop e pesquisa todas as referências sem obter nenhuma resposta. Pega o telefone do avião (airphone) e conecta em seu modem, procura em todos os bancos de dados e bibliotecas possíveis, sem obter nenhuma resposta. Frustrado, manda e-mail para todos os seus amigos e colegas de trabalho/profissão, sem nenhum sucesso. Após uma hora de pesquisa, ele pega os R$ 500,00 e entrega a loira, ela agradece e se vira para o lado para uma soneca. O matemático, muito mal-humorado, cutuca a loira e pergunta: - Muito bem, qual é a resposta? Sem dizer uma palavra, a loira abre a bolsa, entrega mais R$ 5,00 ao matemático e volta a dormir

É de fuder....

Mulher - Onde você vai? Homem - Vou sair um pouco. Mulher - Vai de carro? Homem - Sim. Mulher - Tem gasolina? Homem - Sim.... coloquei. Mulher - Vai demorar? Homem - Não... coisa de uma hora. Mulher - Vai a algum lugar específico? Homem - Não... só rodar por aí. Mulher - Não prefere ir a pé? Homem - Não... vou de carro. Mulher - Traz um sorvete pra mim! Homem - Trago... que sabor? Mulher - Manga. Homem - Ok... na volta eu passo e compro. Mulher - Na volta? Homem - Sim... senão derrete. Mulher - Passa lá, compra e deixa aqui.. Homem - Não... melhor não! Na volta... é rápido! Mulher - Ahhhhh! Homem - Quando eu voltar eu tomo com você! Mulher - Mas você não gosta de manga! Homem - Eu compro outro... de outro sabor. Mulher - Aí fica caro... traz de cupuaçu! Homem - Eu não gosto também. Mulher - Traz de chocolate... nós dois gostamos. Homem - Ok! Beijo... volto logo.... Mulher - Ei! Homem - O que? Mulher - Chocolate não... Flocos... Homem - Não gosto de flocos! Mulher - Então traz de manga prá mim e o que quiser prá você. Homem - Foi o que sugeri desde o começo! Mulher - Você está sendo irônico? Homem - Não tô não! Vou indo. Mulher - Vem aqui me dar um beijo de despedida! Homem - Querida! Eu volto logo... depois. Mulher - Depois não... quero agora! Homem - Tá bom! (Beijo.) Mulher - Vai com o seu ou com o meu carro? Homem - Com o meu. Mulher - Vai com o meu... tem cd player... o seu não! Homem - Não vou ouvir música... vou espairecer... Mulher - Tá precisando? Homem - Não sei... vou ver quando sair! Mulher - Demora não! Homem - É rápido... (Abre a porta de casa.) Mulher - Ei! Homem - Que foi agora? Mulher - Nossa!!! Que grosso! Vai embora! Homem - Calma... estou tentando sair e não consigo! Mulher - Porque quer ir sozinho? Vai encontrar alguém? Homem - O que quer dizer? Mulher - Nada... nada não! Homem - Vem cá... acha que estou te traindo? Mulher - Não... claro que não... mas sabe como é? Homem - Como é o quê? Mulher - Homens! Homem - Generalizando ou falando de mim? Mulher - Generalizando. Homem - Então não é meu caso... sabe que eu não faria isso! Mulher - Tá bom... então vai. Homem - Vou. Mulher - Ei! Homem - Que foi, caramba? Mulher - Leva o celular, estúpido! Homem - Prá quê? Prá você ficar me ligando? Mulher - Não... caso aconteça algo, estará com celular. Homem - Não... pode deixar... Mulher - Olha... desculpa pela desconfiança, estou com saudade, só isso! Homem - Ok, meu amor... Desculpe-me se fui grosso. Tá.. eu te amo! Mulher - Eu também! Posso futricar no seu celular? Homem - Prá quê? Mulher - Sei lá! Joguinho! Homem - Você quer meu celular prá jogar? Mulher - É. Homem - Tem certeza? Mulher - Sim. Homem - Liga o computador... lá tem um monte de joguinhos! Mulher - Não sei mexer naquela lata velha! Homem - Lata velha? Comprei pra a gente mês passado! Mulher - Tá..ok... então leva o celular senão eu vou futricar... Homem - Pode mexer então... não tem nada lá mesmo... Mulher - É? Homem - É. Mulher - Então onde está? Homem - O quê? Mulher - O que deveria estar no celular mas não está... Homem - Como!? Mulher - Nada! Esquece! Homem - Tá nervosa? Mulher - Não... tô não... Homem - Então vou! Mulher - Ei! Homem - O que ééééééé, cacete? Mulher - Não quero mais sorvete não! Homem - Ah é? Mulher - É! Homem - Então eu também não vou sair mais não! Mulher - Ah é? Homem - É. Mulher - Oba! Vai ficar comigo? Homem - Não vou não... cansei... vou dormir! Mulher - Prefere dormir do que ficar comigo? Homem - Não... vou dormir, só isso! Mulher - Está nervoso? Homem - Claro, porra!!! Mulher - Porque você não vai dar uma volta para espairecer? Homem - Ah, vai ...

Radical

Não me lembro direito, mas li numa revista, acho que na Carta Capital, um artigo levantando a hipótese de que todo o cara que tem mania de fazer aspas com os dedinhos quando faz uma ironia é um chato. Num outro artigo alguém escreveu que achava que jamais tinha conhecido um restaurante de boa comida com garçons vestidos de coletinho vermelho. Joaquim Ferreira dos Santos, em 'O Globo' de domingo, fala do seu profundo preconceito com quem usa 'agregar valor'. Eu posso jurar que toda mulher que anda permanentemente com uma garrafinha de água e fica bebendo de segundo em segundo é uma chata. São preconceitos, eu sei. Mas cada vez mais a vida está confirmando estas conclusões. Um outro amigo meu jura que um dos maiores indícios de babaquice é usar o paletó nos ombros, sem os braços nas mangas. Por incrível que pareça, não consegui desmentir. Pode ser coincidência, mas até agora todo cara que eu me lembro de ter visto usando o paletó colocado sobre os ombros é muito babaca. Já que estamos nessa onda, me responda uma coisa: você conhece algum natureba radical que tenha conversa agradável? O sujeito ou sujeita que adora uma granola, só come coisas orgânicas, faz cara de nojo à simples menção da palavra 'carne', fica falando o tempo todo em vida saudável é seu ideal como companhia numa madrugada? Sei lá, não sei. Não consigo me lembrar de ninguém assim que tenha me despertado muita paixão. Eu ando detestando certos vícios de linguagem, do tipo 'chegar junto', 'superar limites', 'focar' essas bobagens que lembram papo de concorrente a big brother. Mais uma vez, repito: acho puro preconceito, idiossincrasia, mas essa rotulagem imediata é uma mania que a gente vai adquirindo pela vida e que pode explicar algumas antipatias gratuitas Tem gente que a gente não gosta logo de saída, sem saber direito por quê. Vai ver que transmite algum sintoma de chatice. Tom de voz de operador de telemarketing lendo o script na tela do computador, repetindo a cada cinco palavras a expressão 'senhoooorrr' e dizendo que 'vou estar anotando'e 'vamos estar providenciando' me irrita profundamente. Se algum dia eu matar alguém, existe imensa possibilidade de ser um flanelinha.. Não posso ver um deles que o sangue sobe à cabeça. Deus que me perdoe, me livre e me guarde, mas tenho raiva menor do assaltante do que do cara que fica na frente do meu carro fazendo gestos desesperados tentando me ajudar em alguma manobra, como se tivesse comprado a rua e tivesse todo o direito de me cobrar pela vaga. Sei que estou ficando velha e ranzinza, mas o que se há de fazer? Não suporto especialista em motivação de pessoal que obrigue as pessoas a pagarem o mico de ficar segurando na mão do vizinho, com os olhos fechados e tentando receber 'energia positiva'. Aliás, tenho convicção de que empresa que paga bons salários e tem uma boa e honesta política de pessoal não precisa contratar palestras de motivação para seus empregados. Eles se motivam com a grana no fim do mês e com a satisfação de trabalhar numa boa empresa. Que me perdoem todos os palestrantes que estão ficando ricos percorrendo o país, mas eu acho que esse negócio de trocar fluidos me lembra putaria. E para terminar: existe qualquer esperança de encontrar vida inteligente numa criatura que se despede mandando 'um beijo no coração'?

Dermatologista

A mulher procura um dermatologista, porque está preocupada com as rugas, e ouve o médico dizer: - Eu tenho um tratamento revolucionário para acabar com suas rugas. Coloco um parafuso no topo da sua cabeça, escondido no couro cabeludo. Aí, toda vez que você vir rugas aparecendo, basta dar um pequeno giro no parafuso que sua pele é puxada para cima e as rugas desaparecem. Quer experimentar esse tratamento? - Claro, doutor! Isso é o máximo! Seis meses depois, a mulher volta para uma consulta: - Doutor, essa técnica do parafuso é ótima, mas apareceram essas bolsas horríveis embaixo dos meus olhos. O senhor devia ter me avisado desse efeito colateral! Diz então o médico: - Dona, essas bolsas embaixo dos olhos são seus seios. E se a senhora não deixar esse parafuso quieto, em 15 dias vai ter barba!

Peter Davies

Em 1986, Peter Davies estava de férias no Quênia depois de se graduar na Northwestern University . Em uma caminhada, ele cruzou com um jovem elefante que estava com uma pata levantada. O elefante parecia muito estressado, então Peter se aproximou muito cuidadosamente. Ele ficou de joelhos, examinou a pata do elefante e encontrou um grande pedaço de madeira enfiado. O mais cuidadosa e gentilmente possível, Peter removeu com a sua faca o pedaço de madeira e o elefante cuidadosamente colocou sua pata no chão. O elefante virou para encarar o homem com grande curiosidade no seu rosto e o encarou por tensos e longos momentos. Peter ficou congelado, pensando que seria pisoteado. Depois de um certo tempo, no entanto, o elefante fez um barulho bem alto com sua tromba, virou e foi embora. Peter nunca esqueceu o elefante e tudo o que aconteceu naquele dia. 20 anos depois, Peter estava passando pelo Zoológico de Chicago com seu filho adolescente. Quando eles se aproximaram da jaula dos elefantes, uma das criaturas se virou e caminhou para um local próximo onde Peter e seu filho Cameron estavam. O grande elefante encarou Peter e levantou sua pata do chão e a baixou ele repetiu varias vezes emitindo sons altos enquanto encarava o homem. Relembrando do encontro em 1986, Peter ficou pensando se aquele era o mesmo elefante. Então, reuniu toda sua coragem, escalou a grade e entrou na jaula. Andou diretamente até o elefante e o encarou. O elefante emitiu outro som alto, enrolou sua tromba na perna de Peter e o jogou contra a parede, matando-o. Provavelmente não era a mesma merda de elefante.

As ovelhas!!!

Um pastor de ovelhas estava cuidando de seu rebanho, quando surgiu pelo inóspito caminho uma Pajero 4x4 toda equipada. Parou na frente do velhinho e desceu um cara de não mais que 30 anos, terno preto, camisa branca Hugo Boss, gravata italiana, sapatos moderníssimos bicolores, que disse: - Senhor, se eu adivinhar quantas ovelhas o senhor tem, o senhor me dá uma? - Sim, respondeu o velhinho meio desconfiado. Então o cara volta pra Pajero, pega um notebook, se conecta, via celular, à internet, baixa uma base de dados, entra no site da NASA, identifica a área do rebanho por satélite, calcula a média histórica do tamanho de uma ovelha daquela raça, baixa uma tabela do Excel com execução de macros personalizadas, e depois de três horas, diz ao velho: - O senhor tem 1.324 ovelhas, e quatro podem estar grávidas. O velhinho admitiu que sim, estava certo e, como havia prometido, poderia levar a ovelha. O cara pegou o bicho e carregou na sua Pajero. Quando estava saindo, o velho perguntou: - Desculpe, mas se eu adivinhar sua profissão, o senhor me devolve a ovelha? Duvidando que acertasse, o cara concorda. - O senhor é advogado. Diz o velhinho... - Incrível! Como adivinhou? - Quatro razões: - primeiro, pela frescura; - segundo, veio sem que eu o chamasse; - terceiro, me cobrou para dizer algo que já sei e, - quarto, não entende merda nenhuma do que esta falando: DEVOLVE já o meu cachorro!!!

Assim ó...

1*- Se vc for meu amigo sabe que pedindo com jeitinho te dou até a roupa do meu corpo *- amizades são eternas *- jamais esqueço quem me ajudou um dia 2*- Se vc for meu inimigo que Deus te ajude....... *- Jamais esqueço quem me fodeu um dia *- A vingança é meu lema e a IRA meu pecado capital preferido. *- Se vc não tem nada a me dizer..não tome meu tempo precioso 3*-Odeio falsidade, amizades por interesse, risadas tolas, gente paranóica, ingratidão, falta de consideração, pessimismo, pessoas vulgares, gente arrogante e que se acha.....mais nunca se encontra.

TIPOS DE HOMENS ( na era da informática...)

TIPOS DE HOMENS ( na era da informática...) QUAL É O SEU ? HOMEM ANTIVIRUS: Vive vasculhando a sua vida pra ver se acha algum podre. HOMEM E-mail: Todo dia tem algo a dizer, mas 90% é lixo. HOMEM NO-BREAK: Quando você precisa dele até te dá uma força, mas só por 10 minutos. HOMEM 286: Tem pouca memória. Nunca se lembra de seu aniversário, de algo que prometeu, etc. HOMEM MSX: Tem cerca de 20 anos, o boot é rapidinho, mas não faz nem o básico, só serve pra joguinhos. HOMEM HISTORY DO EXPLORER: Anota tudo que você fez e por onde você andou, pra jogar na sua cara um dia ou deixar todo mundo sabendo. HOMEM DISQUETE: Está ultrapassado há anos, mas você ainda insiste em usá-lo. HOMEM IMPRESSORA EM REDE: Você pensa que ele é só seu, mas volta e meia você encontra outra pessoa usando. HOMEM IMPRESSORA MATRICIAL: Faz mais barulho do que serviço. HOMEM SCANNER: No primeiro encontro te olha de cima a baixo. HOMEM MOUSEPAD: Também conhecido como boiola. Você se esfrega nele o dia todo e ele fica ali, na dele. HOMEM HELP DO WINDOWS: Nunca responde às suas perguntas, quando responde não é o que você queria ouvir. Isso quando não responde com outra pergunta. HOMENS INTERNET: Aqui no Brasil, são os homens de difícil acesso. HOMEM PROVEDOR: Está sempre ocupado demais para te ouvir. HOMEM WINDOWS: Todo mundo sabe que não presta, que na hora " H " sempre trava, mas ninguém vive sem ele. HOMEM EXCEL: Dizem que faz muitas coisas, mas você só o utiliza para as quatro operações básicas. HOMEM WORD: Tem sempre uma surpresa reservada pra você(geralmente ruim)e não existe ninguém no mundo que o compreenda totalmente. Corresponde a mais ou menos 99% dos homens do mundo. HOMEM DOS: Todas usaram algum dia, mas agora ninguém quer. HOMEM BACKUP: Sempre você acha que tem, mas na hora do "vamos ver", não funciona. HOMEM SCANDISK: A gente sabe que ele é legal e só quer ajudar, mas por debaixo dos panos a gente nunca sabe o que ele está fazendo. HOMEM PAPEL DE PAREDE: Não serve para nada, mas é gatinho. HOMEM MOUSE: Só funciona quando é arrastado e apertado. HOMEM VÍRUS: Também conhecido como Marido, quando você menos espera ele chega e se instala.

Régis

Régis, analista de sistemas, está com muita dor no braço direito e resolve ir ao médico. Chegando lá o doutor lhe diz: - Tenho um novo computador aqui, basta você urinar neste potinho e ele nos dirá o que você tem! - Ha ha ha! Não acredito nisso!!! Sou Analista de Sistemas e nunca ouvi tamnha asneira! Mas, vamos lá! Régis urina no potinho e entrega ao doutor, que o coloca no compartimento de análise do computador. Aperta um botão aqui, outro ali. Passados uns 30 segundos, sai um papelzinho: #################### Régis Magalhães, 35 anos, Branco, Analista de Sistemas, Artrite no braço direito. #################### - O quê?! Como essa máquina faz isso?!?! Eu quero fazer o exame de novo! Régis vai para casa. No dia sequinte, desta vez em jejum, faz o xixi no potinho e leva à máquina para nova análise. Passados outros 30 segundos, sai outro papelzinho: #################### Régis Magalhães, 35 anos, Branco, Analista de Sistemas, Artrite no braço direito. #################### - Doutor, realmente não acredito. Me dê outro pote!! Régis vai para casa. Faz xixi dentro. Pede para a mulher e a filha fazerem também. Coloca um pouco de óleo do carro e ainda por cima se masturba e coloca o resultado no potinho. Misturando tudo e leva para o doutor pensando: - “Hehehe! Agora quero ver!” O doutor coloca o pode no computador. Sai o papel: #################### Régis Magalhães, 35 anos, Branco, Analista de Sistemas - Corno - Filha grávida de 3 meses - Seu carro precisa fazer uma revisão no motor - Próxima vez que se masturbar, faça-o com a mão esquerda, pois o BRAÇO DIREITO ESTÁ COM ARTRITE, PORRA!!! ####################

Olha esse relato de autora desconhecida...

Aquele que era "Nem que a vaca tussa, espirre e arrote eu pego", vira: "Hum, quem sabe bêbada eu pego". O tempo passa, a escassez continua e rapidamente ele é promovido a "E não é que dá pra pegar?" A carência só aumenta. Vibradores não te satisfazem mais. Você está a beira de comprar ingresso pro show do Wando. Pega sua agenda, faz as contas e: "Caralho, puta que pariu, amanhã faz 6 meses que eu não dô!". E de "Pegável", instantaneamente o cara ganha um Upgrade: passa para "Dável". Sim meus amigos, está é a situação que eu me encontrava no final do ano passado. Com a diferença de que eu abomino Wando e também vibrador só me deixa com mais vontade. Tenho mó medo dessa porra dar choque, imagina, morrer eletrocutada com a 'tchuna' queimada. Whatever. Nessa fase de tesão encubado, apenas um "peguetezinho" circulava pela minha vida, o Bernardo. Ele era um tanto quanto sério, falava pouco, ria pouco. Se houvesse um percentual de tesão, acho que o meu por ele seria 0,01%. Mas depois de 6 meses, cara, até o Tiririca despertaria um ligeiro fogo em mim. Meus pais foram comemorar mil anos de casados em Fernando de Noronha. Deviam tá fudendo até não poder mais. Meu irmão, aquele puto, foi prum congresso em Floripa, me ligou radiante dizendo que já tinha comido 7. Até meu cachorro tava dando umas carcadas na cadelinha da velhota do 6ºandar. Minha família inteira fazendo sexo e eu a ver navios? Fala sério!!!! Apelei pro Bernardo. - Bê...tô sozinha aqui a semana toda. Num quer vir aqui tomar um vinho, ver um filme? Acho que ele também devia estar no desespero. Em 15 minutos o cara tava lá em casa. E olha que há uma distância considerável entre nossos bairros. Mal o cara pisou aqui em casa meu cachorro grudou na perna dele e começou aquele movimento de meteção, sabe qual é? - Porra, tá virando viado? - Sai daí, Marley! Deixa o Bernardo em paz! A primeira coisa sexual da noite já tinha acontecido, e não foi comigo. Seria isso um sinal? Enfim, liguei o foda-me, e a parada começou. Beijinhos, mãos ainda tímidas, um ritmo normal até. Ao me ver sem roupa, ele solta um: - Aaaaaah nossa, que tesão. Tranqüilo né. Auto-estima até sobe um pouquinho. Imagina se ele me vê sem roupa e diz "Se cobre", ou então "Desliga o abajur"? Só que a partir daí, o cara simplesmente NÃO PARAVA de falar! Qualquer movimento, ou qualquer parte do meu corpo que ele visse era motivo pra gemer e falar. - Aaaaah que boquinha. Nossa que peitos! Aaaaaaah que bucetinha! Depois do "Aaaaaaah que bucetinha", eu senti uma tendência brega no ar. Além do que, a gemeção dele tava um pouco exagerada. Ainda não estávamos fazendo sacanagem há tanto tempo assim pra ele ficar emitindo esses grunidos de forma tão intensa. - Esfrega essa bundinha em mim, vai, esfrega! - Ahn????????? - Só um poquinho, esfrega, vai! (E fazia cara de tesão, fazendo biquinho e fechando os olhinhos) Caralho, como assim, maluco?! Esfregar a bundinha? Tá achando que minha bunda é Assolan pra ficar esfregando aí?!? -Não, não quero. Depois dessa, o pouco tesão que eu sentia por ele quase se extinguiu. E ele não calava a porra da boca! Tudo ele falava, comentava. Me senti na cama com o Galvão Bueno. Sexo mudo é foda, mas cara, helloooooo! Há um intervalo, um espaço mínimo, uma divisão equilibrada entre, falar, respirar, e fazer. Onde estava aquele rapaz calado e sério? Agora tudo que eu via era uma matraca brega querendo meter em mim. Comecei a beijá-lo freneticamente pra que não houvesse a mínima possibilidade dele pronunciar uma palavra sequer. Eu parecia um desentupidor de pia, brother. E com certeza ele achou que eu devia estar excitadíssima né. Quando comecei a brincar com o objeto da criança, ele me fala: - E aí gostou da surpresa? - Como assim surpresa, ele vem dentro do Kinder Ovo? - Não, gostosa. Lembra que eu te falei qua calçava 45? PÁRA, PÁRA TUDO AAAAAAAARGHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!!!! Como assim, pára tudo!!!!!!!! Na moral, onde esse homem aprendeu a trepar? Ele é filho do Reginaldo Rossi e eu não sabia? - Vem cá, você quer que eu vire pro lado e durma AGORA? Ou prefere que eu mande o Marley arrancar teu pau? - Calma, tesudinha (tesudinha??????). Foi brincadeira. - Brincadeira é o caralho. Brincadeira brega. Muito brega. Cortou totalmente o clima. E tesudinha é a puta que tu come na Vila Mimosa! - Broxei totalmente. Virei pro lado, fechei os olhos, esperando ele se mancar e ir embora. Daí ele me puxou e começou com o carinho lingual na minha companheira. Até que isso ele fazia direitinho. Nada de excepcional, mas dentro dos padrões. Confesso, isso me reacendeu. E cara... 6 MESES! Pensei "Tá, já que tô aqui, vamo acabar logo com essa merda." E o sexo propriamente dito começou. Ele urrava, parecia um rinoceronte. Bicho, eu tava vendo a hora que a polícia ia bater aqui achando que eu tava matando alguém a facadas, pedradas ou coisa do gênero. A parada acaba. Tá beleza. Deu uma aliviada, né. E eu pensando "Agora se veste e vai embora". Doce ilusão... - Vem pra cá. Me abraça. Me dá um beijo. Faz carinho. Foi bom pra você? Tem coca cola? Em quanto tempo você quer dar mais uma? Bota uma música? Caralho caralho, caralho mais uma vez, caralho ao cubo!!!!! Porra, parecia aquelas velhas que sentam do teu lado no ônibus e contam toda a história da família, desde a época da colonização, e você só responde "sim", "aham", "é". Aliás, eu sou ímã de velhas de ônibus. Uma vez saltei 3 pontos antes só pra me livrar de uma tal de Dona Jacinta. Comecei a mandar indiretas sutis: - Caramba, eu tenho dentista 08:30 da manhã. Já são mais de 4. Putz, preciso dormir. E nada dele se tocar! Ficava vendo meus livros, minhas fotos, me dava um beijo. Eu já tava totalmente vestida, e ele só de cueca. Bem, vou ter que ser mais direta. - Olha só, melhor você ir se vestindo, eu já tenho que ir dormir. - Peraí deixa eu brincar um pouquinho com o Marley. Começou a correr pela minha casa com o cachorro. Brother, que cena tosca. Eu tava quase pegando a vassoura e colocando atrás da porta. Quando eu volto pro quarto, vejo ele com o meu diário na mão, abrindo, e ia ler! Que ousadia! (Ok, me chamem de criança, eu tenho diário sim, tá?) Botei meu chinelo, apaguei todas as luzes da casa, fui pra cozinha, e fiquei ao lado da porta de braços cruzados com a chave na mão. Porra ele não iaaaaaaaaa, não ia embora, ficou 3 eras glaciais me abraçando. Tava quase empurrando e fechando a porta na cara dele. Finalmente ele se foi. Fiquei até mais leve. Ufa! Que pesadelo! Me ligou no dia seguinte de manhã, 10 da matina. Vai tomar no cú, me acorda ainda, viado! Não atendi. E assim foi por duas semanas. 14 dias de bina. Tive momentos de seca depois, mas JAMAAAAIS pensei em fazer isso de novo. Prefiro passar o resto dos meus dias na companhia de meus dedos e dos meus vibradores do que apelar prum troço desses.
online