20 de jul de 2009

"Cada lembrança é um tijolo que constrói a minha vida."

Dia do Amigo

Que porra é essa?? Pra mim, todo dia é dia do amigo! Todos os dias eu penso nos meus amigos. Lembro de cada um deles, todas as vezes em que acontece uma situação! Penso: "ih, que nem naquele dia com um amigo meu"... ou "tenho uma grande amiga que costumava dizer..." E isso acontece várias vezes ao dia!! Então, se inventaram um dia especial para parar e lembrar daquelas pessoas, hj é mais um dia! De qualquer forma, já recebi algumas mensagens que me deixaram super feliz MUITO OBRIGADA, MEUS AMIGOS POR VCS EXISTIREM.

Deus,muito obrigada

Nesta minha postagem quero aproveitar a oportunidade e fazer um agradecimento a Deus pela familia maravilhosa que Ele me deu. Costumo agradecer todos os dias, mas acho que nunca é demais...E agora, a linda oração "Não digas PAI NOSSO", que infelizmente eu desconheço o autor. Se alguém souber, me envie o nome. Obrigada. Não digas "PAI" se cada dia não te portas como seu filho... Não digas "NOSSO" se vives isolado no teu egoismo... Não digas "QUE ESTAIS NO CÉU" se só pensas em coisas terrenas... Não digas "SANTIFICADO SEJA O TEU NOME" se não o honras... Não digas "VENHA A NÓS O TEU REINO" se o confundes com o êxito material... Não digas "FAÇA-SE A TUA VONTADE" se não a aceitas quando é dolorosa... Não digas "O PÃO NOSSO DE CADA DIA NOS DAI HOJE" se não te preocupas com a gente que passa fome... Não digas "PERDOA AS NOSSAS OFENSAS" se guardas rancor ao teu irmão... Não digas "NÃO NOS DEIXES CAIR EM TENTAÇÃO" se tens intenção de continuar a pecar... Não digas "LIVRAI-NOS DO MAL" se não tomas partido contra o mal... Não digas "AMÉM" se não levaste a sério as palavras desta Oração...

Coração que chora

Por que ter que passar por certas coisas? Por que eu? O que acontece é que essa distancia entre nós está recheada de sentimentos mal resolvidos, mágoas, incomodo, disfarces e principalmente seu pai, fazendo sua cabeça. Filha,seu pai esta fazendo com que nós não nos aproximemos mais e ao mesmo tempo fiquemos mais e mais distante de um final feliz. Nunca imaginei que amor de filho tivesse validade. Você não sabe,a vontade que tenho de te abraçar e te beijar, ficar junto de vc... Ahhh quanta dor...me pergunto o por quê de td isso Não faz eu ter que seguir em frente com toda essa tristeza aqui dentro, não faz eu ter que aguentar o meu coração doido, não faz eu ter que sorrir sem vontade, não faz o sol nascer e se pôr sem você, não me deixa com medo... Não deixa me levarem, me deixa ficar aqui. Só diz que sim, diz que você vai voltar para mim. Estou esperando... "Não acho a nossa relação justa.", Eu procuro não pensar na frase que você me disse hoje 20/07/2009 quero acreditar que vc foi induzida a dize-la e apenas olho fixamente para o nada. Não é fácil. É como se todo dia o meu coração enfrentasse uma guerra. Tá doendo demais...
Amigos eu ganhei Saudades eu senti partindo E às vezes eu deixei Você me ver chorar sorrindo..

19 de jul de 2009

As cerejas "genéricas" do meu bolo

Pedi ao maridão,que trouxesse cerejas do mercado,pois queria fazer um bolo floresta negra para uma amiga,que está gravida de 6 meses e com desejos Eis que, meu lado zen chega em casa todo feliz, com nada mais nada menos que 5 potes deste aqui: Doce em caldas tipo Cereja Ahhhhh,e eu que sou muiiiiiito calma,quasetiveumtroço... O que iria fazer com tanto doce de chuchu???? Doce "tipo"Cereja,sempre que tiver essa linda palavrinha "Tipo" no meio,desconfie,POIS PARECE MAS NÃO É... Conclusão, mesmo morrendo de frio e sem vontade de sair, tive que ir ao supermercado,pois não tinha como fazer um bolo com cerejas artificiais pra uma amiga né... Isso tudo me fez lembrar da meninabloqueiraYang que está lá do outro lado do mundo Amigaaaaaaaaa, eu acho que: "As cerejas do bolo (tbém) me amam."

15 de jul de 2009

Morte Inventada

Alienação Parental O documentário "A morte inventada", do diretor Alan Minas é um bom filme que trata do tema "alienação parental", com depoimentos importantes. Muitas pessoas têm suas vidas destruídas por causa disso e o pior de tudo é que por mais que os pais sofram quem realmente é sacrificado é o filho. No meu ponto de vista hoje essa é uma situação que muitas pessoas vivem depois que se separam, acho que antigamente ela era mais vivenciada pelos homens, mas hoje muitas mulheres passam pelo mesmo problema. Além disso, acredito no amor que todo genitor tem pelo seu filho, seja ele pai ou mãe, creio que os alienadores muitas vezes não têm idéia do que estão fazendo, eles transmitem a decepção, o desprezo e a raiva que sentem por seus antigos parceiros para seus filhos. Muitas pessoas não conseguem lidar com a separação, pois ela gera muita dor e sofrimento, mas por mais difícil que ela seja, poupar a criança é fundamental. Laços entre homens e mulheres são eternos enquanto duram, mas entre pais e filhos devem ser inquebrantáveis, ninguém tem o direito de querer mudar isso. Infelizmente nem sempre é o que acontece, pois são muitas as pessoas que usam seus filhos como arma de vingança contra seus ex-conjugues, elas matam a imagem do antigo parceiro, destroem tudo que for referente a ele, querem esquecer que o tiveram em suas vidas, deixá-lo para trás. A grande pergunta é e o filho? Como essas pessoas podem querer que esse filho faça o mesmo? Perder um pai ou uma mãe quando eles realmente morrem é trágico, deixa muita dor na criança, agora imaginem matar um dos progenitores em vida? Matar a imagem daquela pessoa que por instinto natural deveria ser uma referencia? Não é justo! Não é amor! Mata a criança também, pois rouba dela um laço que deveria ser eterno, sem limitações e sem culpas. Após a separação de um casal, cabe aos ex-parceiros entrar em comum acordo para definir as bases para uma boa convivência com os filhos provenientes daquela união. Ao contrário disso, o que encontramos e em profusão, são verdadeiras batalhas que tendem a se estender às instâncias judiciais durante a disputa pelo direito de convívio com a criança. Esses embates podem encobrir sérios distúrbios de comportamento, onde o que realmente impera é o objetivo de afastar definitivamente seu ex-cônjuge do convívio da criança, como simples instrumento de vingança e punição pelo fim do relacionamento. Para isso, todos os recursos são utilizados, desde comentários negativos a respeito do ex-companheiro na frente da criança, desqualificando-o, até a situação limítrofe de acusá-lo judicialmente de ter cometido algum tipo de abuso, emocional, Psíquico ou físico, causando graves e irreversíveis danos a todos os envolvidos, principalmente à criança. A esse tipo de distúrbio de comportamento dá-se o nome de Alienação Parental. A pessoa que promove o afastamento da criança do ex-cônjuge é chamada de progenitor alienador; e a outra, afastada do convívio do filho, é chamada de progenitor alienado. Esse tipo de comportamento não é recente, mas só foi classificado e descrito pela primeira vez na década de 80, pelo psiquiatra infantil norte-americano Richard Gardner. Segundo ele, a alienação parental “resulta da combinação entre a programação (lavagem cerebral) feita pela doutrinação de um progenitor com a própria contribuição da criança em vilipendiar o progenitor alienado”. O alienador modifica as percepções de seus filhos por diversos meios com o único objetivo de dificultar, impedir e romper o vínculo com o outro progenitor. A criança passa a vê-lo sob a ótica do progenitor alienador. A raiva, o ódio e o desprezo tornam-se atônica da relação entre ambos. Em mais de 92% dos casos de separação, a guarda das crianças é de responsabilidade da mãe. Assim, por conta dessas estatísticas, é comum encontrar em diversas literaturas a referência da figura materna como alienadora. Mas, é importante salientar que também são comuns os casos onde o pai exerce o papel de alienador e os filhos são usados como instrumento de vingança. Crianças filhos de pais separados gostariam de vê-los juntos e, se separados, sem brigas. Elas precisam de pai e de mãe. É necessário que os pais entendam que, juntos ou separados, eles são obrigados a renunciar a muitas coisas em benefício de seus filhos. Abdicando de seu egoísmo, os pais devem fazer o possível para que seus filhos convivam com eles, mesmo se separados fisicamente. Isso é possível. Ás vezes, é muito difícil
Minha filha Francine, que dei tanta educação,amor e carinho.... acho que depois que fez trinta anos perdeu o juizo,foi para Brasilia tomar uma cachaça com titio "Lula" A cachaça promove a igualdade ricos e pobres, todos no mesmo barco, ondulando nas águas da bebedeira. E Viva a cachaça!

O que é ser valente ?

Pilotar um Fórmula 1? , Saltar de paraquedas ?? Ou quem sabe um Jetsky Radical? rafting? Tirolesa? Perder teu salário numa aposta ? insultar o porteiro de uma discoteca? O teu chefe ? Andar numa montanha russa ......defeituosa? Bobagem, tudo isso é besteira ! Ser valente........é isto!!!: > haaaaa,recebi por email

O Valor da Virgula

Muito legal a campanha dos 100 anos da ABI (Associação Brasileira de Imprensa)... Vejam: Vírgula pode ser uma pausa... ou não. Não, espere. Não espere. Ela pode sumir com seu dinheiro. 23,4. 2,34. Pode ser autoritária. Aceito, obrigado. Aceito obrigado. Pode criar heróis. Isso só, ele resolve. Isso só ele resolve. E vilões. Esse, juiz, é corrupto. Esse juiz é corrupto. Ela pode ser a solução. Vamos perder, nada foi resolvido. Vamos perder nada, foi resolvido. A vírgula muda uma opinião. Não queremos saber. Não, queremos saber. Uma vírgula muda tudo. ABI: 100 anos lutando para que ninguém mude uma vírgula da sua informação. Experimente colocar a vírgula nessa frase: SE O HOMEM SOUBESSE O VALOR QUE TEM A MULHER ANDARIA DE QUATRO À SUA PROCURA. Se você for mulher, certamente colocou a vírgula depois de MULHER. Se você for homem, colocou a vírgula depois de TEM. Abraços,

Piadinha

Era uma vez um corinthiano bem sucedido... (Eu sei que isso não existe, mas só por suposição). Um dia, ele, todo contente, saiu na rua com seu maravilhoso carrão 1.0(60 meses sem entrada). De repente, o pneu furou! Então ele (com aquela camiseta BUNITA do curíntians escrita "eu nunca vou te abandonar") pára, sai do carro e começa a desparafusar o pneu para trocá-lo. Nisso, chega outro corinthiano, taca um tijolo , arrebenta o vidro do carro e grita: -Aê, Mano!! Cê leva as roda que eu levo o CD, beleza?

12 de jul de 2009

Estamos sendo embrulhados um a um…. mas desta vez… o paladar não agrada.

Pequenas tragédias pessoais...

Sabe aquela bermuda branca, linda, de grife e com excelente corte que a gente usa num passeio ou quando quer se sentir bem? Pois é. Coloquei a minha hoje e ela não.... Continue lendo no blog da amiga Miss Yang , é bem por ai,Sabe quando você olha para suas roupas, seus sapatos, suas coisas e tudo parece velho, fora de moda e você não gosta de nada? É para algumas isso se chama TPM, se eu fosse uma mulher normal, simplesmente pegaria uma caixa de bombons e choraria vendo filmes românticos, mas não... Fiquei endemoniada com tanta coisa velha e fiz o que era óbvio, separei uma pilha para doação, lixo ou qualquer coisa que valha. Bolsa, sapato, calça que não cabe, bijuteira... Quando terminei olhei para meu guarda roupex e me deu uma paz, sabe? Ráaaaaaa mentira. Me deu um desespero. Meu, eu não tenho roupas, vou começar a andar pelada pela rua dizendo que sou de uma seita qualquer que prega o naturismo. Ahhhhh pelada, mas de sapatos novos porque na sexta feira, triste, sofrida e levemente alcoolizada as 20hs achei que era óbvio ter que ir para o shoping comprar um par novo. Comprei dois, porque não se pode facilitar. Meu, queria taaaanto comprar uma calça nova, mas foi um suplício, ou tem muita gente gorda no mundo, ou não tem nenhuma. Fato. Visto manequin 44, impressionantemente a maioria das lojas só ia até um 42 que parecia 36. Beleza, gordo tem mais é que se fuder mesmo, vou na loja das gordinha, e lá as calças carézimas, porque além de gorda você tem que ser rica, e fofa, só tinha do manequim 50 a 58. E eu no meu 44? Comofasso/ ando pelada? Volto na porra da desgraça da C&A e enfio na cabeça que vou achar a merda da calça, olhei para uma calça preta, manequim 44 que parecia 50, ahhhh fia, vai tu mesmo, que vai cair bunda abaixo, mas cinto resolve. As bainha da calça arrastando no chão, porque além de gorda você tem que ter 1,90 de altura. Meti a tesoura na bainha, enfiei um cinto e ó, tô lindona. Meu, quem inventou essas lojas de tamanhos especiais tem mais é que morrer, primeiro que não sou especial, pessoas especiais voam, não meu caso. Segunda coisa, não tem um meio termo, é tudo de malha, malha, maaaaalhas,elástico, meo o Rei das Malhas deve estar milionário. Eu não,preciso de calças de grávida, nem uso sapatilha e rasteirinha, nem tenho que usar coisas com brilho, porque na cabeça desses caras a gorda tem que brilhar, filha, haja glitter e tantas aplicações de borboletas e bordados de strass e tudo com muita estampa de bom gosto, porque gordo é uma pessoa que quer aparecer, né? Taca uma lona de circo na gorda que ela tá elegânthy.

Ser mãe

"Antes de ser mãe eu não conhecia a sensação de ter o meu coração fora do meu próprio corpo."

7 de jul de 2009

Eu...

Queria ser uma daquelas pessoas que vive se encantando com os pássaros que pousam na janela, com a grama verde do jardim, mas sinceramente não sou essa criatura

Somos tudo a mesma mérdia

Eu escrevo, você lê, somos felizes. Eu escrevo, você comenta, somos muito felizes. Se for gastar suas digitais por aqui, que não seja me xingando. Sou estatística para o IBGE , igual a você... só que mais bonita. Muito mais bonita.

Tem dia que de noite é f$#%

Sinceramente não entendo como alguém passa pela vida sem ter um minuto de tédio. Aquela sensação de nada completo, de que a vida tá chata, de que você já viu tudo que tinha que ver... Realmente é difícil. Só tem uma coisa que realmente não faço pra bloquear o tédio, que é me acompanhar de qualquer pessoa pra me distrair... Gente "nada a ver" é tão irritante que prefiro sentir todo o tédio do mundo... Não abro mão dos meus dias de solidão entediante, pra ter uma criatura chata, daquelas totalmente sem afinidade do meu lado... Prefiro estar sozinha.

O Direito ao Palavrão

Os palavrões não nasceram por acaso. São recursos extremamente válidos e criativos para prover nosso vocabulário de expressões que traduzem com a maior fidelidade nossos mais fortes e genuínos sentimentos. É o povo fazendo sua língua. Como o Latim Vulgar, será esse Português vulgar que vingará plenamente um dia. Sem que isso signifique a “vulgarização” do idioma, mas apenas sua maior aproximação com a gente simples das ruas e dos escritórios, seus sentimentos, suas emoções, seu jeito, sua índole. “Pra caralho”, por exemplo. Qual expressão traduz melhor a idéia de muita quantidade do que “Pra caralho”? “Pra caralho” tende ao infinito, é quase uma expressão matemática. A Via-Láctea tem estrelas Pra caralho, o Sol é quente Pra caralho, o universo é antigo Pra caralho, eu gosto de cerveja Pra caralho, entende? “]Aperte o Foda-se e seja feliz x] No gênero do “Pra caralho”, mas, no caso, expressando a mais absoluta negação, está o famoso “Nem fodendo!”. O “Não, não e não!” e tampouco o nada eficaz e já sem nenhuma credibilidade “Não, absolutamente não” o substituem. “Nem fodendo” é irretorquível, e liquida o assunto. Te libera, com a consciência tranqüila, para outras atividades de maior interesse em sua vida. Aquele filho pentelho de 17 anos te atormenta pedindo o carro pra ir surfar no litoral? Não perca tempo nem paciência. Solte logo um definitivo “Marquinhos, presta atenção, filho querido, NEM FODENDO!”. O impertinente se manca na hora e vai pro Shopping se encontrar com a turma numa boa e você fecha os olhos e volta a curtir o CD do Lupicínio. Por sua vez, o “porra nenhuma!” atendeu tão plenamente as situações onde nosso ego exigia não só a definição de uma negação, mas também o justo escárnio contra descarados blefes, que hoje é totalmente impossível imaginar que possamos viver sem ele em nosso cotidiano profissional. Como comentar a gravata daquele chefe idiota senão com um “é PhD porra nenhuma!”, ou “ele redigiu aquele relatório sozinho porra nenhuma! . O “porra nenhuma”, como vocês podem ver, nos provê sensações de incrível bem estar interior. É como se estivéssemos fazendo a tardia e justa denúncia pública de um canalha. São dessa mesma gênese os clássicos “aspone”, “chepne”, “repone” e, mais recentemente, o “prepone” – presidente de porra nenhuma. Há outros palavrões igualmente clássicos. Pense na sonoridade de um “Puta-que-pariu!”, ou seu correlato “Puta-que-o- pariu!”, falados assim, cadenciadamente, sílaba por sílaba… Diante de uma notícia irritante qualquer um “puta-que-o- pariu!” dito assim te coloca outra vez em seu eixo. Seus neurônios têm o devido tempo e clima para se reorganizar e sacar a atitude que lhe permitirá dar um merecido troco ou o safar de maiores dores de cabeça. Foda-se. Seja simples: Foda-se. E o que dizer de nosso famoso “vai tomar no cú!”? E sua maravilhosa e reforçadora derivação “vai tomar no olho do seu cú!”. Você já imaginou o bem que alguém faz a si próprio e aos seus quando, passado o limite do suportável, se dirige ao canalha de seu interlocutor e solta: “Chega! Vai tomar no olho do seu cú!”. Pronto, você retomou as rédeas de sua vida, sua auto-estima. Desabotoa a camisa e saia à rua, vento batendo na face, olhar firme, cabeça erguida, um delicioso sorriso de vitória e renovado amor-íntimo nos lábios. E seria tremendamente injusto não registrar aqui a expressão de maior poder de definição do Português Vulgar: “Fodeu!”. E sua derivação mais avassaladora ainda: “Fodeu de vez!”. Você conhece definição mais exata, pungente e arrasadora para uma situação que atingiu o grau máximo imaginável de ameaçadora complicação? Expressão, inclusive, que uma vez proferida insere seu autor em todo um providencial contexto interior de alerta e auto-defesa. Algo assim como quando você está dirigindo bêbado, sem documentos do carro e sem carteira de habilitação e ouve uma sirene de polícia atrás de você mandando você parar: O que você fala? “Fodeu de vez!”. Sem contar que o nível de stress de uma pessoa é inversamente proporcional à quantidade de “foda-se!” que ela fala. Existe algo mais libertário do que o conceito do “foda-se!”? O “foda- se!” aumenta minha auto-estima, me torna uma pessoa melhor. Reorganiza as coisas. Me liberta. “Não quer sair comigo? Então foda-se!”. “Vai querer decidir essa merda sozinho(a) mesmo? Então foda-se!”. O direito ao “foda-se!” deveria estar assegurado na Constituição Federal. Liberdade, igualdade, fraternidade e foda-se!. Grosseiro, mas profundo… Pois se a língua é viva, inculta, bela e mal-criada, nem o Prof. Pasquale explicaria melhor. “Nem fodendo…” Luís Fernando Veríssimo

Dedicado ao Anônimo(o)

Hummmm....deixa-me ver,que eu posso dizer pra vc... Com certeza vc é apenas mais uma dessas pessoas sem vida que perde tempo escondendo a própria frustração sexual atrás de um perfil falso ou assinando suas pífias declarações verborrágicas como Anônimo. No mínimo vc é um lixo de gente, deve ser frequentador do ridículo Motel Dos Fakes, uma bizarra comunidade no Orkut em que perfis fakes de celebridades “fazem sexo” através da comunidade. Ahhh...entrou aqui de xereta,isso aqui é meu cantinho e posto o que quero,quem critica anonimamente é covarde... Quer saber????

6 de jul de 2009

Casamento do meu Filhão 02/05/2009

Fernando e Vanessa 02/05/2009 Fim da festa
online