7 de set de 2008

Ser ou não ser

Às vezes me dá uma vontade tão grande de deixar cair a máscara e me mostrar frágil, sensível e medrosa... Mas não posso. Sempre esperam de mim mais do que sou capaz de oferecer. E mesmo assim ofereço... Esperam respostas... e mesmo sem tê-las, respondo. Esperam que eu assuma comandos... e mesmo sem coragem, assumo. Esperam a palavra que impulsiona... e mesmo emudecendo, impulsiono. É preciso enfrentar o medo com um sorriso nos lábios e a alma dilacerada. Afinal, quem vê minha alma? Essa só eu sinto.. só eu vejo... Só eu sei...

Nenhum comentário:

online