22 de ago de 2007

SENTIMENTOS

Colori meus sentimentos, pintando-os de todas as CORES. Clareei um pouquinho as Dores e às Alegrias dei mais movimento. Para a Tristeza, que gostava do escuro, que vivia debruçada no muro, abri várias janelas para que assim pudesse ver as flores AMARELAS em fase de crescimento. Para a Inveja, que só olhava de lado e nunca para dentro de si mesma, desenhei um coração magoado, como se estivesse dizendo: "Vê como me sinto dentro de ti!" Para o Ciúme, que é insegurança, tracei bonitas lembranças, amarrei-as num laço de fita em tom ESVERDEADO, e disse: - CUIDADO! Ciúme é inimigo da Confiança. Descansei um pouquinho das coisas doloridas, e foi quando vagando dentro de mim cheguei à Esperança e à Bondade. Bem, na verdade, não as pintei porque as duas JÁ SÃO COLORIDAS! Para o AMOR, dei vários matizes: num canto pintei de AZUL com bolinhas brancas, no outro, o VERMELHO encarnado, mas não me esqueci do tom das raízes, porque o Amor é muito invocado, se contrariado, às vezes embrutece e se tranca; outras vezes, se enternece emocionado. Assim é o nosso coração; pode dizer não, querendo dizer sim , mas também pode inverter a posição e deixar to mundo grilado. O jeito então, é entender que ele é como um velho casarão, que quando perde o COLORIDO, precisa depressa ser pintado

Nenhum comentário:

online