20 de set de 2007

Dispensa do serviço militar





Um jovem escreveu a seguinte carta para o militar responsável pela dispensa
do serviço militar:


Prezado Oficial Militar,

venho por intermédio desta pedir a minha dispensa do serviço militar.

A razão para isto é bastante complexa e tentarei explicar em detalhes.
Meu pai e eu moramos juntos e possuímos um rádio e uma televisão.
Meu pai era viúvo e eu solteiro. No andar de baixo, moravam uma viúva e sua
filha, ambas muito bonitas e sem rádio e nem televisão.
O rádio e a televisão fizeram com que nossas famílias ficassem mais
próximas. Eu me apaixonei pela viúva e casei com ela. Meu pai se apaixonou
pela filha e também se casou com esta. Neste momento, começou a confusão. A
filha da minha esposa, que casou com o meu pai, é agora a minha madrasta. Ao

mesmo tempo, porque eu casei com a mãe, a filha dela também é minha filha
(enteada). Além disso, meu pai se tornou o genro da

minha esposa, que por sua vez é sua sogra.

A minha esposa ganhou recentemente um filho, que é irmão da minha madrasta.
Portanto, a minha madrasta também é a avó do meu filho, além de ser seu
irmão. A jovem esposa do meu pai é minha mãe (madrasta), e o seu filho ficou

sendo o meu irmão.

Meu filho é então o tio do meu neto, porque o meu filho é
irmão de minha filha (enteada).

Eu sou, como marido de sua avó, seu avô. Portanto sou o avô de meu irmão.
Mas como o avô do meu irmão também é o meu avô, conclui-se que eu sou o avô
de mim mesmo!

Portanto, Senhor Oficial, eu peço dispensa do serviço militar baseado no
fato de que a lei não permite que avô, pai e filho sirvam ao mesmo tempo.
Se o Senhor tiver qualquer dúvida releia o texto várias vezes (ou tente
desenhar um gráfico) para constatar que o meu argumento é realmente
verdadeiro e correto.



Ass. Avô, pai e filho.

Conclusão: O Rapaz foi dispensado dentro das normas legais!

Nenhum comentário:

online